Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Rio Branco acusa atletas do clube de tentar manipular resultados do Estadual

24 de março de 2018 às 14:23

O presidente do Rio Branco, Leandro Ribeiro, acusou jogadores do clube de tentativa de manipulação de resultados durante o Campeonato Paranaense. As declarações do dirigente foram em entrevista para a rádio Difusora, de Paranaguá.

Segundo Ribeiro, o lateral Thiaguinho, 27 anos, acabou revelando a situação em um grupo de Whatsapp. “Foi um grupo do Whatsapp feito pelo Thiaguinho. Ficamos transtornados. Já fizemos a denúncia na Policia Civil”, declarou para a rádio. “Nós já tínhamos uma desconfiança porque no primeiro turno tivemos uma campanha excelente, quase brilhante. Nós sabíamos que alguma coisa estava errada. Não é possível um time chegar na final da forma que foi e depois ir desta forma no segundo turno. Sabíamos que alguma coisa estava acontecendo”, afirmou o dirigente.

“Nós estávamos sempre em conversa com os atletas, mas ninguém queria falar nada. Até que um atleta acabou entregando isso a um diretor. E ele acabou nos passando tudo para nós. O Thiaguinho soube que a diretoria estava vendo o caso e criou um grupo de WhatsApp entre os jogadores para tentar se desculpar do que teria tentado fazer. Mas pelo Estatuto do Torcedor, só a tentativa de manipulação já é crime”, completou o presidente do Rio Branco.

O clube de Paranaguá foi finalista da Taça Dionísio Filho, o primeiro turno do Campeonato Paranaense. Perdeu a final para o Coritiba, por 3 a 0. Na Taça Caio Júnior, o segundo turno, o Rio Branco terminou na lanterna do Grupo B e correu sério risco de rebaixamento.

Na última rodada, na quarta-feira (dia 21), os jogadores do Rio Branco ameaçaram não viajar para enfrentar o Londrina. Era um protesto pela falta de pagamento dos salários. No fim, foram para a partida e perderam por 4 a 1 para o Londrina, que conseguiu a vaga para a semifinal da Taça Caio Júnior com esse resultado.

Pelo Estatuto do Torcedor, a tentativa de manipulação de resultado é punida com prisão de doias a seis anos, além de multa. O Código Brasileiro de Justiça Desportiva prevê a eliminação da equipe envolvida nesse tipo de caso.