Aliel cobra julgamento de ação contra aumento na gasolina

23 de maio de 2018 às 19:03

O deputado federal Aliel Machado (PSB) cobrou celeridade ao Tribunal Regional Federal da Primeira Região (TRF1) no julgamento da ação proposta por ele e assinada também pelo vereador Pietro Arnald (Rede), pelo presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas de Ponta Grossa (Sindiponta), Josmar Richter e por Daniel Prochalski, membro da Comissão de Direito Tributário da OAB-PG, em agosto do ano passado. A ação teve decisão favorável em primeira instância concedida pela juíza Adverci Rates Mendes de Abreu, da 20ª Vara do Distrito Federal.

 

Aliel se reuniu hoje, 23, com o secretário-geral da presidência, Marcio Lucio Marques, que se comprometeu a dar celeridade ao julgamento do recurso. “O aumento do PIS-Cofins feito por decreto foi completamente irregular. Tanto que entramos com a ação e tivemos vitória em primeira instância. Porém, o Governo entrou com recurso e a ação está parada noTRF1, a quem pedimos celeridade no julgamento”, revelou ele.

 

O parlamentar destacou ainda a necessidade de uma solução urgente, tendo em vista os transtornos causados pela manifestação dos caminhoneiros em todo o país. “É um movimento legítimo que os caminhoneiros estão fazendo para chamar a atenção da sociedade para os absurdos que esse governo vem fazendo com a população, que é quem está pagando a conta”, defende ele.

 

Relembre

 

O reajuste foi determinado pelo Governo no dia 20 de julho do ano passado e elevou imediatamente o preço da gasolina ao consumidor em cerca de R$ 0,40 e do etanol e diesel em R$ 0,20.

 

Segundo os autores da ação, “o aumento dos combustíveis afeta não só o consumidor, mas toda a economia, principalmente o setor agrícola, que tem uso intensivo de transporte e é o que mais tem ajudado o Produto Interno Bruto (PIB). O governo está jogando areia em cima de quem estava contribuindo para a retomada da economia”, argumentam os autores.

 

A ação destaca o princípio da legalidade, pelo fato de o reajuste ter sido feito através de decreto e não de um projeto de lei, enviado ao Congresso.

 

“A Constituição é muito clara, quando determina que qualquer aumento de tributo tem que ser feito por lei. Esse aumento por decreto é proibido. Também fere o Código Tributário, porque não respeitou a noventena [período de ‘carência’ antes de entrar em vigor]. Não é uma questão política”, diz o deputado.

 

Prudentópolis
24º
Chuvas esparsas
Ponta Grossa
22º
Tempo nublado
Guarapuava
22º
Chuvas esparsas
Curitiba
22º
Tempo nublado
Londrina
29º
Tempo limpo
União da Vitória
25º
Chuvas esparsas
  • É com pesar que a Funerária São Lucas comunica o falecimento do Irmão Leonidas Antônio Voidelo
  • É com pesar que e a Funerária Anjo Gabriel  comunica o falecimento da Sra Tolentina Gonçalves de Araújo aos 79 anos de idade.
  • É com pesar que e a Funerária Anjo Gabriel  comunica o falecimento do Sr Elias Ernani Parhuts aos 66 anos de idade.
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sr. Nilton Boraiko Vieira. Ocorrido aos 44 anos de idade.
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat comunica o falecimento do Sr João Silva de Oliveira aos 74 anos de idade.
  • É com pesar que e a Funerária Anjo Gabriel comunica o falecimento do Sr Abel Zaias aos 70 anos de idade.
  • Genoma SUS recruta bolsistas nas áreas de ciência de dados e bioinformática
  • Economia Verde do Paraná alcança R$ 140 bilhões e já representa 32,9% do PIB
  • Em ação do MPPR em Castro, Judiciário determina que concessionária isente de pedágio pessoas em tratamento de saúde
  • Prefeitura de Guamiranga realiza cascalhamento em estradas rurais, beneficiando desta vez a comunidade de Àgua branca.
  • Fazenda e Receita alertam para envio de guias falsas de IPVA por e-mails e SMS
  • 12,8 mil estudantes de graduação da UEL devem realizar a renovação de matrículas para 2024