Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Prefeito de Teixeira Soares cancela a Expotexas

16 de junho de 2018 às 09:38

Em uma decisão impopular e focada na gestão eficiente dos recursos públicos, após os prejuízos causados por uma chuva de granizo que atingiu Teixeira Soares no mês de maio, o prefeito do município Lucinei Carlos Thomaz, o Lula Thomaz, decidiu cancelar a edição de 2018 da Expotexas.

Em entrevista ao Hoje Centro Sul, ele detalha como foi tomar esta difícil decisão para “arrumar a casa”, “honrar todos os compromissos”.  O perfil de gestor fala mais alto e Lula Thomaz reconhece que o cancelamento da Expotexas foi uma decisão difícil, mas necessária. Também conta que fará um evento popular em comemoração ao aniversário do município, gastando 5% do valor que seria necessário para realização da Expotexas.

Confira a explicação detalhada do prefeito de Teixeira Soares  sobre as ações da gestão:

 

Jornal Hoje Centro Sul – Como que foi tomar essa decisão de cancelar a ExpoTexas nesse ano?

Prefeito Lula Thomaz – Diversos fatos aconteceram, fizeram com que nós tomássemos essa decisão. O fator econômico que o país vive, a prefeitura passa por um momento de muitas obras que estão acontecendo e nós temos contrapartida para dar. Nós já tivemos uma situação de emergência no dia 18 de maio, um evento de granizo pegou aproximadamente duas mil pessoas, 1976 pessoas e 434 casas – se não me falhe a memória –  e a Defesa Civil nos ajudou muito, através do Governo do Estado, porém, prédios públicos também tiveram diversas avarias. Até onde acontece a ExpoTexas o telhado inteiro foi danificado, a casa da pessoa que cuida do Centro de Eventos foi danificada, então nós vamos ter que fazer um investimento lá de aproximadamente 100 mil reais e teríamos que correr contra o tempo para deixar preparado para receber a ExpoTexas. Nós estamos em um Decreto de Emergência, a partir desse evento que ocorreu, dessas pessoas atingidas. Nós achamos que a festa é importante, que a população merece a festa, nós somos favoráveis à festa, porém, nesse momento não.Nós precisamos arrumar a nossa casa e Teixeira Soares tem muito que investir de agora até o final do ano, durante o ano de 2018.

HCS – Foi uma decisão difícil? No ano passado a festa foi grandiosa, teve shows nacionais, a população, não dá nem pra dizer que da região toda, mas de muitos municípios, de outras regiões, vindo para Teixeira Soares, conhecendo a cidade?

Lula Thomaz – É uma decisão impopular, é uma decisão que a gente toma em um momento que era necessário ser tomada, então, difícil é, mas ela é necessária. Eu sou gestor, tenho que garantir saúde pública para os nossos munícipes, tenho que dar condição de estrada para os nossos agricultores, tenho que promover todas as políticas públicas que são pertinentes ao município. Então, eu não posso optar por uma festa, apesar de que eu goste. E realmente a nossa ExpoTexas do Centenário foi grandiosa, mas também se tratava de um momento especial, o momento do nosso Centenário. Esse ano, nós estamos vendo a data, nós vamos ter a tarde com as famílias, junto com o almoço dos produtores. Vamos colocar brinquedos, refrigerante, cachorro quente para as crianças,  pipoca,  algodão doce, para integrar as famílias nessa tarde, no aniversário. E,a noite, nós faremos um show em praça pública, que vai ser liberado ao povo, para não passarmos em branco, porém, numa dimensão muito pequena, com muito cuidado, o custo muito reduzido, 5 % do que custaria uma festa, ou até menos.

HCS- Que ajuda o Governo do Estado deu para solucionar os problemas causados pela chuva de granizo?

Lula Thomaz – Nós tivemos uma ajuda muito grande da defesa civil, a nossa querida governadora Cida nos ligou logo pela manhã do evento, colocou a defesa civil à nossa disposição. Ela foi fantástica, ela foi muito humana. Na madrugada, já estava chegando a ajuda para nós. E enaltecer o trabalho da nossa defesa civil municipal, através dos voluntários que lá estiveram para nos dar suporte na madrugada. O corpo técnico de Teixeira Soares está de parabéns, através da Dilmara que representa a defesa civil. Quero agradecer muito o Major Rilard de Curitiba, a Tenente Spack, eles foram fundamentais. Os deputados Alexandre Curi, o Sandro Alex, o prefeito de Ponta Grossa, Marcel Rangel – que nos ajudou também com telhas, da defesa civil –, o deputado Aliel Machado foi de suma importância nesse processo. Eles nos ampararam, nós sentimos o governo do estado muito próximo e ajuda foi muito rápida. Até hoje nós estamos distribuído telhas e iremos atender se não 100%, quase 100% das pessoas atingidas com a chuva de granizo. Também agradecer o bombeiro de Irati, o soldado Padilla, meu amigo particular, que na madrugada estava ajudando as famílias na hora que elas mais precisavam.

HCS – Você citou que além de resolver os estragos da chuva de granizo nos prédios públicos, também é necessário que o município economize para contrapartidas de obras. Quais as obras principais  que vão acontecer esse ano e que precisam de recursos?

Lula Thomaz – Foram comprados agora dois caminhões, uma retro-escavadeira, nós temos em contrapartida quase 100 mil reais. Pavimentação asfáltica de Guaraúna, de quatro ruas aqui de Teixeira Soares, e também em contrapartida quase 100 mil reais. O Centro de Eventos, a ampliação do barracão. A ampliação não, a triplicação, que serão 2.880 metros de área construída, um investimento de R$ 750 mil, em que nós temos 220 mil de contrapartida. E outras ambulâncias que foram adquiridas agora, mais ambulâncias irão ser adquiridas, mais automóveis, então, tudo isso requer contrapartida, é mínimo, mas nós não teríamos condições de fazer a festa nesse momento, tendo um recreto de emergência, ocorrendo em nosso município, seria de irresponsabilidade minha, eu optei, por mesmo talvez pagando um preço com a população de insatisfação, e lá na frente quem vai ganhar com isso com certeza vai ser a nossa população.

HCS – Podemos dizer que também foi uma estratégia necessária de replanejamento financeiro?

Lula Thomaz- Eu não estou falando que nós estamos deixando de fazer a ExpoTexas para melhorar a saúde pública. Estamos deixando de fazer para que de repente esse serviço não seja prejudicado, o momento é delicado. Estamos vindo de um momento político muito delicado no país e nós sabemos que essa conta, quem vai acabar pagando são os municípios. Nós precisamos nos precaver, para que nós possamos virar um ano tranqüilo, com as nossas contas zeradas. Lembrando que nós pegamos o município com R$ 1 milhão e 300 mil de déficit de recursos livres e, já ano passado nós conseguimos, mesmo fazendo a festa, conseguimos passar com somente 100 mil de déficit. Então nós pagamos R$ 1 milhão e 200 mil da gestão anterior, em contas de recursos livres e, esse ano, o nosso governado está pautado na responsabilidade de fechar o ano com as contas zeradas.

HCS – Além disso, esse ano teve queda de receitas, queda de arrecadação dos municípios…

Lula Thomaz – Toda e qualquer mudança que a gente vê no cenário federal reflete aqui na ponta, então os municípios vêm perdendo receita, o que é muito complicado. Com a queda de receita sobe o nosso índice de folha, subindo o nosso índice de folha, acende a luz amarela do Tribunal [Tribunal de Contas], acabamos perdendo as primeiras certidões negativas e, com isso, perdendo o poder de investimento, porque o município acaba ficando travado. Então, já que é de conhecimento de todos que nós vamos pagar conta, essa conta de corrupção do Brasil, infelizmente, nós estamos pagando essa conta. Vai com certeza onerar os municípios, sendo no FPM, ICMS. As receitas vão se comportar de uma forma negativa e nós, como gestores, nós precisamos estar cientes de que nós vamos ter que trabalhar com recursos reduzidos. É para isso que nós estamos aí, para fazer uma gestão diferente e mesmo com todas as dificuldades passar um ano honrando com os nossos fornecedores, com os nossos colaboradores. Informando que essa atitude de optar em não fazer a ExpoTexas em julho me permitiu também, mandar um projeto de lei para a Câmera, para pagar o 13º dos nossos funcionários no dia 12 de junho. Nós estamos antecipando o pagamento do 13º, então nós estamos muito preocupados com os nossos colaboradores, com os fornecedores, que a gente possa honrar todos os compromissos.

Texto: Letícia Torres/Hoje Centro Sul