Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Câmara de Mallet rejeita contas da gestão do ex prefeito Rogério

17 de agosto de 2018 às 09:08
Por 6 votos a 3, a maioria dos vereadores malletenses encontraram irregularidade nas contas de 2014 e deixam o ex gestor inelegível por 8 anos

Foto: Divulgação

A Câmara Municipal de Mallet, rejeitou nesta terça-feira (14), as contas do exercício financeiro de 2014 da prefeitura, quando estava sob a gestão de Rogério da Silva Almeida.

A maioria dos vereadores malletenses, cerca de dois terços dos votos dos parlamentares, contrariaram o parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE – PR), que apontou a regularidade das contas desse período.

De acordo com o relatório, em primeira análise o parecer foi pela irregularidade, mas foram apresentados alguns apontamentos em sua primeira defesa. Já na segunda análise foram resolvidas algumas partes, e outras não, sendo encontradas pelo TCE outras irregularidades.

Ainda com a descrição, foi apresentada a segunda defesa e resolvido mais uma parte, ficando a questão de uns processos licitatórios, que não atenderam a uma instrução normativa do Tribunal de Contas, onde foram apartados da prestação de contas, e ainda estão tramitando no TCE.

Rogério junto com o ex secretário da Fazenda do município Pedro Przybysz se encontravam na Câmara de Vereadores desde o inicio da 25ª Sessão Ordinária, mas logo depois da votação e a confirmação da rejeição, o ex prefeito e seu secretário deixaram as dependências do Palácio 21 de Setembro.

Vale lembrar que as despesas contraídas nos últimos oito meses do seu mandato, a qual ficou sem a disponibilidade de recursos em caixa para o seu pagamento levaram o Tribunal de Contas do Estado do Paraná a emitir Parecer Prévio pela desaprovação das contas de 2016 alem de ter sido aplicado uma multa.

Acompanhe ainda nessa quarta-feira (15), aqui no site da Rádio Studio W, o resumo do relatório e os pronunciamentos dos vereadores sobre o resultado da votação, a qual deixou o ex chefe de executivo do período 2013/2016, inelegível por 8 anos.

Fonte: Rádio Studio W