Nova Câmara deve aumentar bancadas de esquerda e direita

1 de outubro de 2018 às 08:54

Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

A Câmara dos Deputados que sairá das urnas em outubro terá, além de um elevado índice de reeleição, nomes conhecidos na política brasileira, como deputados estaduais, senadores, ex-ministros, ex-prefeitos, ex-secretários e ex-parlamentares, ocupando as vagas dos que não tentaram ou não conseguiram renovar o mandato. As caras novas virão da escolha de policiais, evangélicos e celebridades ou da força do dinheiro e da relação de parentesco com oligarquias políticas.

A projeção foi feita pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), com base na estratégia dos partidos políticos de lançar nomes competitivos para disputar a Câmara dos Deputados. Para reforçar as bancadas de deputado federal, que definem os repasses do fundo partidário e o horário partidário, as legendas escalaram seus principais nomes para a Câmara e fizeram coligações competitivas.

Uma movimentação dos senadores indica, além de uma preocupação individual com a derrota na eleição majoritária, a estratégia dos partidos de reforçar a Câmara. Os senadores Aécio Neves (PSDB-MG), José Agripino Maia (DEM-RN), Gleisi Hoffmann (PT-PR), presidente nacional do PT, e Lídice da Mata (PSB-BA), por exemplo, disputam uma cadeira de deputado federal e tendem a puxar votos para suas legendas.

Nessa linha, o deputado estadual Marcelo Freixo (PSOL-RJ) concorre à Câmara, assim como o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha (PT-SP), o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero (PPS-RJ), o ex-ministro do Trabalho Manuel Dias (PDT-SC) e o ex-deputado federal Marcelo Itagiba (PPS-RJ).

Segundo levantamento preliminar, coordenado pelo analista político Antônio Augusto de Queiroz, diretor do Diap, a composição das bancadas não será muito diferente da atual. Conforme a análise, haverá um leve crescimento dos partidos de esquerda e de direita, acompanhado de uma discreta redução das legendas de centro.

O PT continuará tendo a maior bancada de deputados federais, com 55 a 65 integrantes, conforme o levantamento do Diap, seguido de MDB (44 a 50), PSDB (42 a 50), PP (40 a 48) e PSD (40 a 48). Em um segundo bloco, estão PR, DEM, PSB, PDT e PRB, com bancadas que devem ficar entre 20 e 40 deputados. PSL, PTB, Pros, PSC, PPS, PCdoB, Pode, PSOL e SD devem eleger entre dez e 20 deputados. Outros partidos não devem eleger mais do que dez parlamentares.

Fonte: Agência Brasil

Prudentópolis
16º
Tempo nublado
Ponta Grossa
16º
Tempo nublado
Guarapuava
16º
Tempo nublado
Curitiba
17º
Tempo nublado
Londrina
21º
Parcialmente nublado
União da Vitória
17º
Tempo nublado
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat comunica o falecimento do Sr Salvador Szawczuk aos 77 anos de idade
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat comunica o falecimento do Sr Severo Czekalski aos 46 anos de idade vitima de acidente
  • É com pesar que a Funerária São Josafat e o Plano Sindi Saude, comunicam o falecimento do Sr. Teodozio Kusma, aos 63 anos de idade.
  • É com pesar que a Funerária São Josafat e o Plano Sindi Saude, comunicam o falecimento do Sr. Sebastião Gonçalves da Silva, aos 83 anos de idade.
  • É com pesar que a Funerária São Josafat e o Plano Sindi Saude, comunicam o falecimento do Sr. Pedro Machado Alves, aos 75 anos de idade.
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat comunica o falecimento do senhor Miguel Papis aos 63 anos.
  • Unioeste divulga aprovados em seleção de Residência Técnica em Economia Rural
  • Paraná mantém liderança nacional em ranking de inovação e sustentabilidade
  • Comitiva do Paraná começa agenda na Índia com visita a gigante global de tecnologia
  • Período mais seco: IAT faz alerta sobre incêndios nas Unidades de Conservação do Paraná
  • Comércio paranaense cresceu 6,9% nos primeiros meses de 2024, melhor resultado do Sul
  • Paraná vai produzir 1,25 bilhão de litros de etanol na atual safra, aponta boletim