Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Ministério Público do Paraná denuncia vereador que usava de coação para exigir pagamento de vantagens indevidas a prefeito de Nova Tebas

15 de novembro de 2018 às 09:41
A denúncia foi pela prática do crime de concussão (quando funcionário público exige, mediante coação, pagamento de vantagem indevida) contra o prefeito da cidade. O crime foi praticado por seis vezes no período de um ano.

O núcleo de Guarapuava do Grupo Especializado na Proteção ao Patrimônio Público e no Combate à Improbidade Administrativa (Gepatria) e a Promotoria de Justiça de Manoel Ribas, na região Central do estado, ofereceram denúncia contra vereador Nova Tebas (município da comarca) preso no sábado passado, 10 de novembro, na Operação Antagônico.

A denúncia foi pela prática do crime de concussão (quando funcionário público exige, mediante coação, pagamento de vantagem indevida) contra o prefeito da cidade. O crime foi praticado por seis vezes no período de um ano.

Segundo apurado pelo Ministério Público do Paraná, desde o fim de 2017, o vereador vinha fazendo exigências de pagamentos mensais ao prefeito.

Os valores requeridos variaram entre R$ 1 mil e R$ 3 mil reais, sempre mediante ameaça de utilizar a prerrogativa parlamentar para fazer oposição leviana ao governo municipal e ao governante.

Em quatro oportunidades, a vítima sucumbiu à pressão e realizou pagamentos. Após a última abordagem do vereador, o prefeito procurou o MP para relatar o ocorrido. Com isso, no sábado passado, o vereador foi surpreendido por uma equipe do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Guarapuava quando saía de encontro com o prefeito, carregando um envelope com R$ 2 mil em espécie, contendo cédulas monitoradas pelo Ministério Público. O dinheiro foi entregue ao vereador pelo prefeito a título de pagamento da exigência.

Informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação