Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Secretaria da Saúde alerta para lote de morangos impróprios para consumo

26 de novembro de 2018 às 21:30
O lote em questão é o PP44C9H2ZJE6UHFD da marca Benassi, com data de embalagem 19/11/18, proveniente do agricultor Dante Andreazza e validade de 7 dias. A orientação para quem adquiriu o produto, é que suspenda o consumo imediatamente. Quem encontrar o produto no mercado pode denunciar à Vigilância Sanitária estadual pela Ouvidoria Geral da Saúde pelo telefone 0800 644 4414. 

A Vigilância Sanitária do Paraná determinou a interdição e inutilização de um lote de morangos vindos do município de Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, devido a presença de resíduos de agrotóxicos não autorizados para esse tipo de alimento. O lote onde foi encontrado a irregularidade foi coletado pela Vigilância Sanitária de Curitiba na CEASA e analisado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-PR).

O lote em questão é o PP44C9H2ZJE6UHFD da marca Benassi, com data de embalagem 19/11/18, proveniente do agricultor Dante Andreazza e validade de 7 dias. A orientação para quem adquiriu o produto, é que suspenda o consumo imediatamente. Quem encontrar o produto no mercado pode denunciar à Vigilância Sanitária estadual pela Ouvidoria Geral da Saúde pelo telefone 0800 644 4414.

O diretor do Centro Estadual de Vigilância Sanitária Paulo Costa Santana explica que as Vigilâncias Sanitárias do Estado e dos Municípios já foram informados e orientados a fazer a apreensão e descarte do lote, caso este seja encontrado no comércio local (atacado e varejo). Ele salienta que outros lotes do distribuidor e produtor podem estar regulares e que as pessoas podem continuar a consumir morangos, desde que tomem alguns cuidados, especialmente em relação à origem do produto.

“O rótulo é a carteira de identidade de qualquer produto e o consumidor deve prestar atenção nas informações que ele traz. No Paraná, a Resolução 748/2014 obriga que a origem dos produtos hortícolas in natura seja registrada através do rótulo e o consumidor deve exigir essa informação e não consumir produtos que não estejam identificados”, orienta Paulo.

Ele lembra que a Secretaria de Estado da Saúde desenvolve em todo o Paraná o Programa Estadual de Análise de Resíduos de Agrotóxicos em Alimentos (PARA/PR) que monitora a conformidade dos resíduos de agrotóxicos nos alimentos comercializados através da CEASA/PR e aqueles fornecidos na alimentação escolar estadual. “É uma forma de evitar que os consumidores paranaenses adquiram ou consumam produtos irregulares e garantir sua segurança alimentar”, finaliza.