Moro e Guedes querem combater contrabando de cigarros no Brasil

26 de março de 2019 às 18:05

O Governo Federal vai criar um grupo de trabalho com a missão de avaliar a redução da tributação sobre cigarros fabricados no país. A intenção é “diminuir o consumo” de produtos estrangeiros “de baixa qualidade” e os riscos à saúde “dele decorrentes. A iniciativa resulta do entendimento de que o crime organizado é financiado pelo contrabando em alta escala de tabaco no Brasil.

O grupo de trabalho, de acordo com a portaria do ministro Sérgio Moro publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (26), ficará no âmbito do Ministério da Justiça e Segurança Pública, com participação de técnicos do Ministério da Economia. O cigarro está entre os produtos com mais imposto no país, com carga tributária de aproximadamente 80%.

A Federação das Empresas de Hospedagem, Gastronomia, Entretenimento, Lazer e Similares do Estado do Paraná (FETURISMO) parabeniza e apoia a medida e atitude de Sérgio Moro e do ministro Paulo Guedes (Economia). “Eles entenderam que o crime organizado está sendo financiado pelo contrabando em alta escala de cigarros, que tem retorno altíssimo e penas ridículas”, afirmou Fábio Aguayo, vice-presidente de Relações Governamentais e Institucionais da FETURISMO.

O Brasil precisa fazer este debate importante para encontrar uma solução ao tema. “O que está sendo proposto não é necessariamente pela redução do imposto, mas, pode ser tão somente uma reavaliação da forma como os impostos são cobrados”, ponderou Aguayo.

Militância
O vice-presidente da entidade atua desde o início da década na campanha de combate ao contrabando, falsificação e comércio ilegal de tabaco no país. Em dezembro do ano passado Aguayo participou, e encaminhou sugestões, ao encontro dos Governadores recém eleitos.

“Também participamos de Audiência Pública no Ministério da Justiça e Segurança Pública, no dia 16 de janeiro em Brasília”, recorda. Durante o evento, junto com a frente parlamentar mista de combate ao contrabando e o Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO), foram propostas 10 medidas contra o mercado ilegal, incluindo o contrabando de cigarros.

“Os números da clandestinidade no Brasil são estratosféricos e impressionantes, movimentam na casa dos bilhões e que poderiam ser empregados na geração de emprego e renda”, destacou o representante da FETURISMO.

“Publicamente parabenizamos a iniciativa e a coragem dos ministros e suas pastas, em debaterem em grupo e assim encontrarem meios de enfrentar a situação crítica que ocupa quase 60% do comércio Nacional”, diz Aguayo.

Riscos à saúde
Na avaliação de Aguayo, o contrabando impõe, consideravelmente, mais risco a saúde pública brasileira, pela baixíssima qualidade e sem controle sanitário, assim, colocando ainda mais em perigo a vida de seus consumidores, que buscam preço e não qualidade/procedência.

“A medida, além de combater o contrabando e o poderio das ações criminosas, trará recursos ao erário que poderá investir em diversas pautas prioritárias no Governo Federal e nos Estados prejudicados, como o Estado do Paraná e Mato Grosso do Sul, corredores dessa prática, quase enraizada, em alguns casos cooptando o Poder Público”, concluiu Fábio Aguayo.

Atuação
O grupo de trabalho terá que realizar estudos sobre a tributação de cigarros fabricados no Brasil, propor melhorias à política fiscal e tributária e medidas que visem a redução do consumo do de cigarros estrangeiros de baixa qualidade. Segundo a portaria, o relatório final deverá ser apresentado para deliberação do ministro Sérgio Moro no prazo de 90 dias.

Foto legenda (audiencia moro)
Fábio Aguayo na audiência com Sérgio Moro, junto com a frente parlamentar mista de combate ao contrabando e o Instituto Brasileiro de Ética Concorrencial (ETCO)

Prudentópolis
16º
Tempo nublado
Ponta Grossa
17º
Tempo nublado
Guarapuava
15º
Tempo limpo
Curitiba
20º
Tempo limpo
Londrina
27º
Tempo limpo
União da Vitória
16º
Tempo limpo
  • É com pesar que e a Funerária Anjo Gabriel comunica o falecimento do Sr Daniel Germano Pesck aos 82 anos de idade.
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sra. Maria Fiuza Ribeiro
  • É com pesar que a Funerária São João comunica o falecimento do Sr. Lademiro Petriw, popularmente conhecido como “Ladio”.
  • É com pesar que e a Funerária Anjo Gabriel comunica o falecimento do Sr Antenor Marconato aos 71 anos de idade.
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sr. Ilor Vicente Pontarolo.
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat comunica o falecimento da Sra Adelaide Woicik  Stasiu aos 80 anos de idade.
  • Acidente Fatal na BR-373 em Prudentópolis: Colisão Frontal Resulta em Morte 
  • Connect Week discute uso da inovação para uma agricultura mais sustentável
  • Paraná populariza inovação no Connect Week com anúncio de investimentos e projetos
  • Ranking destaca ações sustentáveis das universidades estaduais; UEL lidera no Paraná
  • IAT fiscaliza pesca irregular e fecha cativeiro de aves no Centro-Oeste do Estado
  • Fomento Paraná e BDMG firmam acordo de cooperação técnica