Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Athletico leva gol aos 49, é derrotado pelo Boca na Bombonera e perde a liderança

10 de maio de 2019 às 08:16
Com o segundo lugar, o Athletico agora vai enfrentar uma equipe que terminou em primeiro lugar a fase de grupos: Inter, Cruzeiro, Palmeiras, Flamengo, Olímpia, Cerro Porteño ou Libertad.

Foto: Divulgação/Athletico.com.br/Miguel Locatelli

O Athletico Paranaense perdeu por 2 a 1 para o Boca Juniors, nessa quinta-feira (dia 9) à noite, no estádio Bombonera, em Buenos Aires, pela sexta e última rodada da fase de grupos da Copa Libertadores. O time paranaense já estava classificado antes da partida e, com o resultado, perdeu a liderança do Grupo G, terminando em segundo lugar, com nove pontos. O Boca ficou com a liderança, com 11 pontos.

Quem termina em primeiro lugar do grupo ganha duas vantagens. A primeira é ficar no pote 1 do sorteio das oitavas. Os clubes desse lado enfrentarão as equipes do pote 2. Além disso, a pontuação da fase de grupos serve para a definir os mandos de campo até a final — o jogo de volta é no estádio da equipe com melhor pontuação.

Com o segundo lugar, o Athletico agora vai enfrentar uma equipe que terminou em primeiro lugar a fase de grupos: Inter, Cruzeiro, Palmeiras, Flamengo, Olímpia, Cerro Porteño ou Libertad.

O gol da vitória do Boca só veio aos 49 minutos do segundo tempo.

Após a partida, o técnico do Athletico, Tiago Nunes, fez duras críticas ao árbitro e reclamou de quatro erros graves.

HISTÓRIA
Essa foi a primeira partida de um clube paranaense na Bombonera por competições oficiais.

Agora, o Athletico soma cinco jogos oficiais na Argentina, com duas vitórias (San Lorenzo em 2017 e River Plate em 2006) e três derrotas (Newells em 2018, Vélez em 2014 e Boca em 2019).

Em toda história da Libertadores, o Boca só sofreu 13 derrotas como mandante. Nos outros jogos em casa, somou 98 vitórias e 30 empates. As únicas derrotas em casa para brasileiros pela competição continental foram para o Palmeiras (2018), o Fluminense (2012), o Paysandu (2003), o Cruzeiro (1994) e o Santos (1963).

ARTILHEIRO
O centroavante Marco Ruben tem agora seis gols em seis jogos pelo Athletico na Libertadores. Ele é artilheiro geral da competição em 2019, empatado com Adrián Martínez, do Libertad, que tem seis gols em oito partidas.

Em toda história, Marco Ruben aparece entre os 50 maiores artilheiros da Libertadores, com 17 gols em 25 jogos. Nessa lista, ele está empatado com Pelé (17 gols em 15 jogos) e outros oito jogadores.

RETROSPECTO
O time principal do Athletico não venceu como visitante em 2019, com um empate e quatro derrotas.

O Boca Juniors não perde há oito jogos. A última derrota do time argentino foi para o Athletico, na Arena da Baixada, em 2 de abril.

Nos últimos seis meses, o time argentino sofreu apenas duas derrotas. Foram 17 vitórias e seis empates nesse período.

TÉCNICO
Tiago Nunes soma agora 25 vitórias, 10 empates e 11 derrotas no comando do time principal do Atlético.

ESCALAÇÃO
O Athletico não tinha Thiago Heleno, Madson e Camacho, lesionados. A baixa de última hora foi Bruno Guimarães, gripado. Tiago Nunes usou o esquema tático 3-4-3 para atacar, com Nikão (direita), Rony (esquerda) e Marco Ruben (centro) na frente. Quando o time tinha a bola, os dois laterais faziam parte da linha de quatro do meio. O volante Wellington recuava para formar a linha defensiva com os dois zagueiros. O time se defendeu no esquema 4-1-4-1, com Wellington como único volante.

O Boca não tinha o meia Reynoso, lesionado. Tevez, Pavon e Abila começaram no banco. O time argentino usou o 4-2-3-1.

PRIMEIRO TEMPO
O Boca usou pressão alta no início, sufocou a saída de bola do adversário e teve controle do jogo por 20 minutos. Foram três boas chances para o time argentino nesse período – Zárate, Benedetto e Lizandro López desperdiçaram. A partir dos 20 minutos, o Boca pagou o preço por marcar avançado – o desgaste físico chegou mais cedo. O Athletico equilibrou o jogo a partir dali e começou a trocar passes pelo centro do campo. As arrancadas de Rony e as infiltrações de Lucho foram as melhores jogadas do Furacão nesse período. Aos 40, Benedetto saiu lesionado. Entrou Ábila.

SEGUNDO TEMPO
O segundo tempo começou com o Athletico melhor. O clube teve dois pênaltis não marcados pela arbitragem. Aos 10, Marco Ruben foi derrubado por Nandez na área. Aos 11, o cruzamento de Renan Lodi foi barrado pela mão de Buffarini.

Aos 14, saiu Lucho e entrou Erick. O gol veio aos 21. Nikão cobrou falta e lançou para a área. Marco Ruben aproveitou falha geral da defesa e marcou de cabeça.

O Boca reagiu e empatou aos 27. Depois de escanteio e rebote, Zárate cruzou e Lizando López, livre na cara do gol, chutou. Aos 29, saiu Paulo André e entrou Robson Bambu. Aos 34, Wellington foi expulso por falta violenta em Tévez. Com um jogador a mais, o Boca partiu para o ‘abafa’ e levou perigo em mais dois lances. O Athletico soube segurar a pressão adversária quase até o final. Aos 43, entrou Márcio Azevedo no lugar de Marco Ruben. Aos 49, após pressão do Boca, Tevez pegou rebote na meia-lua e acertou o canto.

ESTATÍSTICAS
Em 90 minutos, o Athletico teve 48% de posse de bola, somou 5 finalizações (2 certas), 81% de eficiência nos passes e 1 escanteio. O Boca arrematou 20 vezes (6 certas) e teve 52% de posse de bola, 85% de eficiência nos passes e 6 escanteios. Os dados são do SofaScore.

BOCA JUNIORS 2 x 1 ATHLETICO
Boca Juniors: Andrada; Buffarini, Izquierdoz, Lisandro López e Más; Nández e Marcone; Villa (Tevez), Zárate e Almendra (Pavon); Benedetto (Ábila). Técnico: Gustavo Alfaro
Athletico: Santos; Jonathan, Paulo André (Robson Bambu), Léo Pereira e Renan Lodi; Wellington; Léo Cittadini, Lucho González (Erick), Nikão e Rony; Marco Ruben (Márcio Azevedo). Técnico: Tiago Nunes
Gols: Marco Ruben (21-2º), Lizandro López (27-2º) e Tevez (49-2º)
Expulsão: Wellington (34-2º)
Cartões amarelos: Más, Izquierdoz, Nández, Ábila (B). Nikão, Cittadini (A).
Árbitro: Carlos Orbe (Equador)
Local: Bombonera

PRINCIPAIS LANCES
Primeiro tempo
8 – Zárate chuta da meia-lua. A bola passa perto, ao lado.
11 – Rony corta mal na defesa. Buffarini aproveita e cruza. Benedetto finaliza de calcanhar. Santos segura.
14 – Pressão do Boca na bola parada. Depois de rebote, Benedetto cruza. Lizandro López, na cara do gol, chuta para fora.
28 – Jonathan lança. Rony tabela com Lucho, na área, e chuta cruzado. O goleiro defende.
38 – Nández lança. Benedetto recebe na área e chuta ao lado do gol.
39 – Rony avança em contra-ataque, invade a área, passa por dois e rola para Lucho, que chuta da meia-lua. A bola vai sobre o gol.

Segundo tempo
2 – Nikão chuta de longe. Andrade defende no cantinho.
10 – Marco Ruben divide na área com Nández, cai e pede pênalti.
11 – Renan Lodi cruza. A bola toca no braço de Buffarini, na área. O Athletico pede pênalti.
18 – Gol do Athletico. Falta no meio-campo. Nikão lança para a área. O goleiro e o zagueiro falham. Marco Ruben fica livre para marcar de cabeça.
25 – Gol do Boca. Depois de escanteio e rebote, Zárate cruza e encontra Lizandro López na cara do gol. Ele chuta e marca.
31 – Zárate invade a área e chuta. Santos faz boa defesa.
38 – Nández pega rebote fora da área e chuta sobre o gol.
49 – Gol do Boca. Pavon cruza. A zaga tira mal. Tevez pega o rebote na meia-lua e acerta o canto.

Fonte: Bem Paraná