Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Pai é preso por espancar bebê até a morte por não aceitar fato de ela ter nascido menina, diz Conselho Tutelar

20 de maio de 2019 às 11:27
Augusto da Cruz, de 23 anos, foi autuado por homicídio e teve prisão confirmada pela Justiça, seguindo para o Cotel. Caso aconteceu em São Lourenço da Mata.

Foto: Reprodução/Google Street View

Um pai foi preso em flagrante por espancar uma bebê de cinco meses de idade até a morte, em São Lourenço da Mata, no Grande Recife. Segundo o Conselho Tutelar da cidade, a mãe da vítima contou que o marido, Augusto Silva da Cruz, de 23 anos, assassinou a filha, Debora Maria Sales da Silva, por não aceitar o fato de a criança ter nascido menina.

“Agora não se pode nem nascer mulher. Por causa desse discurso de ódio, as pessoas acham que podem resolver tudo batendo, espancando e matando. É chocante”, declarou Ana Lúcia Soares, que acompanhou o caso pelo Conselho Tutelar de São Lourenço.

A Polícia Civil informou, nesta segunda-feira (20), que o crime ocorreu no bairro do Cajá, na periferia de São Lourenço da Mata, na sexta-feira (17). Augusto da Cruz foi levado para a delegacia da cidade e autuado por homicídio.

O homem passou por audiência de custódia, que determinou a prisão preventiva, de acordo com o Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). Ele seguiu para o Centro de Triagem (Cotel), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana.

O Conselho Tutelar apontou que o corpo de Debora estava, na manhã desta segunda, no Instituto de Medicina Legal (IML), em Santo Amaro, na área central do Recife, à espera de um parente que autorize a liberação. Depois do crime, a mãe da criança foi para casa de parentes em um município do interior e, por isso, não havia um responsável para fazer a liberação.

A Secretaria de Assistência Social de São Lourenço afirmou o município pretende custear o velório e o enterro, mas precisa da presença de alguém da família ou de uma decisão judicial.

“Soube pelo Conselho Tutelar que a população tocou fogo na casa da família e que a mãe não voltou para lá. Estamos esperando um contato com uma tia para liberar o corpo”, afirmou a secretária de Assistência Social de São Lourenço da Mata, Kelly Morgana.

Fonte: G1