Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Traiano apresentará demandas do Paraná ao presidente Jair Bolsonaro

22 de maio de 2019 às 12:50
Na oportunidade, as principais demandas do estado serão apresentadas ao presidente da República, entre elas o pedido para uma revisão no contingenciamento das verbas para as universidades e institutos federais.

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), deputado Ademar Traiano (PSDB), fará parte da comitiva que recepcionará o presidente Jair Bolsonaro (PSL) durante agenda no Paraná.

Na oportunidade, as principais demandas do estado serão apresentadas ao presidente da República, entre elas o pedido para uma revisão no contingenciamento das verbas para as universidades e institutos federais.

Esse foi um dos temas abordados durante a coletiva de imprensa do presidente do Legislativo nesta terça-feira (21).

Segundo Traiano, a presença de Bolsonaro no estado “é o momento oportuno para que essas demandas sejam apresentadas ao presidente”.

Os deputados aprovaram na sessão plenária de segunda-feira um requerimento solicitando a revisão no contingenciamento dos recursos destinados paras as instituições federais.

De acordo com o reitor da Universidade Federal do Paraná, Ricardo Marcelo Fonseca, que participou do Grande Expediente na sessão plenária de segunda-feira, o corte pode inviabilizar o funcionamento das instituições federais no estado a partir de agosto.

O presidente Jair Bolsonaro vem ao Paraná participar da inauguração da Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu, em Capanema, na região Sudoeste do estado.

O empreendimento tem potência total instalada de 350,2 MW, sendo a sexta e menor hidrelétrica instalada no Rio Iguaçu. “Eu trabalhei intensamente para a aprovação desse pleito.

É uma excepcional usina que vai gerar muitos megawatts, fazendo com que o Paraná possa crescer ainda mais como autossuficiente na produção de energia elétrica”, ressalta Traiano.

Outro tema abordado pelos jornalistas foi o adiamento da votação da proposta de emenda à Constituição nº 6/2019, que torna obrigatória a execução da programação orçamentária, o chamado orçamento impositivo.

O objetivo é construir um novo texto. “Eu solicitei ao presidente da CCJ que adiasse o processo de votação dessa PEC impositiva do orçamento. Eu fiz uma reunião explicando aos deputados o meu pedido, porque eu pretendo, com o governador, construir uma proposta que possa atender aos interesses do Paraná”, afirmou Traiano.