Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Unicentro transforma bebidas apreendidas em álcool para higienização

30 de maio de 2019 às 17:54
Nove delegacias da Receita Federal do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso enviam ao campus de Guarapuava da Unicentro cerca de 90 toneladas por ano de produtos apreendidos nas operações de fiscalização, que viram até seis toneladas de álcool em gel e cinco toneladas de álcool de limpeza.

O descarte de bebidas alcoólicas apreendidas pela Receita Federal poderia ser um problema ambiental de alto risco, mas foi transformado em solução pela Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro). Desde 2008, a Agência de Inovação Tecnológica da Unicentro (Novatec) utiliza bebidas como vinho, cerveja, vodka e licor como matéria-prima para a produção de álcool etílico (líquido e em gel), usado para higienização e limpeza.

Nove delegacias da Receita Federal do Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso enviam ao campus de Guarapuava da Unicentro cerca de 90 toneladas por ano de produtos apreendidos nas operações de fiscalização, que viram até seis toneladas de álcool em gel e cinco toneladas de álcool de limpeza. Sem isso, as bebidas iriam para aterros sanitários, o que pode causar um grande problema ambiental pelo risco de contaminar lençóis freáticos.

Todo o material produzido pela Novatec é utilizado no setor de saúde da própria universidade ou doado para órgãos públicos, como unidades de saúde, escolas municipais e estaduais, delegacias e batalhões de polícia, Corpo de Bombeiros, Detran e para a Defesa Civil, que distribui o álcool em gel para a população atingida por eventos como inundações.

A Novatec também produzia etanol com os produtos, que era usado nos carros da Unicentro, mas como a demanda pelo álcool etílico é muito grande, deixou de fabricar o combustível. “O volume de pedidos que recebemos hoje é maior que a capacidade de produção, já que dependemos das bebidas enviadas pelas delegacias da Receita”, conta o diretor de Projeto da Novatec, Maico Cunha.

PRODUÇÃO – Professores e estudantes dos cursos de Química, Administração e Farmácia estão envolvidos no processo de reaproveitamento. As bebidas destiladas e fermentadas recebidas da Receita são separadas em tambores de mil litros e então armazenadas em tanques aéreos.

É então iniciada a destilação, em um processo parecido com os alambiques. Na primeira etapa, o produto é transformado em álcool com 40% a 50% de pureza. Um novo processo de retificação é feito, para o produto chegar a um grau de 86% de pureza.

O material é levado para o laboratório de análises para chegar ao álcool 70, quando o líquido já pode ser utilizado para limpeza. Para a fabricação do gel, outros produtos químicos são adicionados. O material é envasado na própria universidade, em embalagens a granel, de 5 quilos, ou nos pumps de álcool em gel, para então serem distribuídos às instituições parceiras.

EMBALAGENS – Os resíduos das embalagens das bebidas (vidros, latas e papelão) são encaminhados para a Associação Municipal de Catadores de Guarapuava, que fazem a triagem e encaminham o material para reciclagem.