Operação mira quadrilha suspeita de remover cadáveres e vender ilegalmente terrenos em cemitério de Ibiporã

3 de outubro de 2019 às 08:39

Foto: Polícia Civil/Divulgação

Uma operação da Polícia Civil, deflagrada na manhã desta quinta-feira (3), mira uma quadrilha suspeita de remover cadáveres e vender ilegalmente terrenos em um cemitério de Ibiporã, no norte do Paraná.

As vítimas da organização criminosa são pessoas humildes. De acordo com a Polícia Civil, um vereador e o diretor do Cemitério Municipal São Lucas estão entre os alvos da ação.

A polícia aponta o diretor como o líder da quadrilha. Ele ocupa cargo público municipal e é comissionado como diretor do cemitério há mais de dez anos, segundo a Polícia Civil.

Já o parlamentar indicava a compra de terrenos, conforme a polícia, por meio do esquema fraudulento. O nome do vereador ainda não foi divulgado.

Até a última atualização desta reportagem, havia sido informado que duas pessoas tinham sido presas.

Os mandados judiciais

Há 13 mandados de prisão temporária e 22 de busca e apreensão. As ordens judiciais são cumpridas em Ibiporã e em Londrina, também no norte do estado.

Há ainda 15 mandados de sequestro de bens – como carros, imóvel e equipamentos de academia – obtidos com dinheiro proveniente do crime.

Outros alvos da operação são empresários, representantes de duas funerárias de Ibiporã.

A organização criminosa, segundo a polícia, retirava ossadas enterradas no local e as descartava em lugares impróprios. Era preciso tirar as ossadas do cemitério para que os terrenos fossem vendidos.

Vantagem indevida

De acordo com a Polícia Civil, o diretor do cemitério exigia vantagem indevida de pessoas carentes de Ibiporã e de outras cidades da região. Ele alegava que os terrenos eram particulares e, por isso, era preciso pagar para enterrar corpos no cemitério municipal, segundo a polícia.

As quantias solicitadas variavam, conforme a Polícia Civil, de R$ 2 mil a R$ 22 mil. Esse dinheiro era divido entre o diretor e outros investigados.

Os crimes

A Polícia Civil informou que os investigados vão ser indiciados pelos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro, concussão e vilipêndio – que é desrespeito – a cadáver.

Dinheiro do DPVAT

Além de vender os terrenos ilegalmente e fazer o descarte das ossadas, os criminosos enganavam famílias que tiveram parentes mortos em acidentes de trânsito, de acordo com a polícia.

Um dos integrantes da quadrilha, segundo a Polícia Civil, se passava por advogado e recebia o dinheiro do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (DPVAT) e não entregava para as famílias.

Conforme a polícia, ele dizia que o valor era destinado a despesas funerárias. Esse “advogado” era indicado por representantes de funerárias que estão envolvidas no esquema.

Fonte: G1PR

Prudentópolis
23º
Tempo limpo
Ponta Grossa
23º
Tempo limpo
Guarapuava
23º
Parcialmente nublado
Curitiba
21º
Tempo limpo
Londrina
24º
Tempo limpo
União da Vitória
23º
Tempo nublado
  • É com pesar que e a Funerária Anjo Gabriel comunica o falecimento do Sr Daniel Germano Pesck aos 82 anos de idade.
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sra. Maria Fiuza Ribeiro
  • É com pesar que a Funerária São João comunica o falecimento do Sr. Lademiro Petriw, popularmente conhecido como “Ladio”.
  • É com pesar que e a Funerária Anjo Gabriel comunica o falecimento do Sr Antenor Marconato aos 71 anos de idade.
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sr. Ilor Vicente Pontarolo.
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat comunica o falecimento da Sra Adelaide Woicik  Stasiu aos 80 anos de idade.
  • Acidente Fatal na BR-373 em Prudentópolis: Colisão Frontal Resulta em Morte 
  • Connect Week discute uso da inovação para uma agricultura mais sustentável
  • Paraná populariza inovação no Connect Week com anúncio de investimentos e projetos
  • Ranking destaca ações sustentáveis das universidades estaduais; UEL lidera no Paraná
  • IAT fiscaliza pesca irregular e fecha cativeiro de aves no Centro-Oeste do Estado
  • Fomento Paraná e BDMG firmam acordo de cooperação técnica