Medica é afastada por cobranças ilegais para furar fila do SUS

16 de outubro de 2019 às 11:23

Uma médica que atua em hospital de Campina Grande do Sul, Região Metropolitana de Curitiba, foi afastada das atividades exercidas no Sistema Único de Saúde (SUS) pela Justiça a partir de denúncia criminal oferecida pelo Ministério Público do Paraná, por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Campo Largo, por efetuar cobranças indevidas de pacientes para furar a fila.

A decisão resulta de investigações da Operação Mustela, deflagrada pelo MPPR em dezembro do ano passado e que trata dessa prática criminosa no SUS em diversas cidades paranaenses.

Segundo apuração da Promotoria, a médica chegava a cobrar R$ 9 mil por paciente para priorizar o atendimento a procedimentos realizados na rede pública.

A mediação dessas cobranças era feita por agentes públicos, que se utilizavam das posições políticas que exerciam na negociação dos procedimentos médicos em troca de prestígio público.

Os fatos denunciados ocorreram entre os anos de 2016 a 2018 e, segundo a ação penal e até esse momento, ao menos sete pessoas foram vítimas das cobranças ilegais da profissional de saúde.

Investigação – A médica e outros quatro agentes públicos foram denunciados pelo crime de concussão (exigir vantagem em razão da função que exerce). Além do afastamento dela do SUS, a decisão, proferida pela Vara Criminal de Campo Largo, impôs a proibição de os réus manterem qualquer contato com as vítimas.

O esquema criminoso começou a ser investigado pelo Ministério Público em 2017.

A partir de depoimentos de vítimas e informações obtidas por meio de interceptação telefônica e quebra de dados, a Operação Mustela foi deflagrada em dezembro de 2018, com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

À época, foram cumpridos mandados de buscas e apreensão e de prisão temporária contra alguns dos envolvidos. Médicos de outro hospital, de Campo Largo, já foram afastados das funções no SUS em decorrência de várias denúncias oferecidas pelo MPPR.

Autos: 0011074-88.2019.8.16.0026

Confira matéria anterior sobre a operação:

14/08 – Operação Mustela já resultou em denúncias de 43 pessoas (seis delas médicos afastados do SUS) por 49 crimes de concussão contra 44 vítimas

Informações para a imprensa:
Assessoria de Comunicação
(41) 3250-4264

 

Prudentópolis
24º
Tempo limpo
Ponta Grossa
23º
Tempo limpo
Guarapuava
21º
Parcialmente nublado
Curitiba
24º
Tempo limpo
Londrina
25º
Tempo limpo
União da Vitória
25º
Tempo nublado
  • É com pesar que a Funerária Anjo Gabriel e o PAF comunicam o Falecimento do SR. João Novakoski aos 81 anos.
  • É com pesar que a Funerária São João e o plano UNIPAZ comunicam o falecimento do Sr. João Grescyczyn. Ocorrido hoje, aos 89 anos de idade.
  • É com pesar que a Funerária São João e o plano UNIPAZ comunicam o falecimento da Sra. Leci Fernandes Marins. Ocorrido hoje, aos 62 anos de idade.
  • É com pesar que a Funerária São João e o plano UNIPAZ comunicam o falecimento da Sr. Januário Mazur. Ocorrido ontem, aos 48 anos de idade.
  • É com pesar que a Funerária São João e Plano o UNIPAZ, comunicam o falecimento do Jovem Idinei Ribeiro, aos 31 anos de idade.
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat comunica o falecimento do Sr Metodio Kuchla aos 68 anos.
  • Vendas do comércio varejista avançam 4% no Paraná no primeiro quadrimestre
  • Agepar promove consulta pública para convênios entre a entidade e municípios
  • O prefeito de Prudentópolis, Osnei Stadler recebeu duas premiações em Brasília
  • Governo propõe criação de fundo para alavancar investimentos em infraestrutura
  • Campo da Secretaria do Esporte abrigará festival de rugby para crianças de escolas municipais
  • Governo envia à Assembleia projeto de lei para rede de atendimento de psicoativos