Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Futuros moradores ajudam a construir as casas populares do Programa Nossa Gente, em Rebouças

16 de janeiro de 2020 às 13:17
Os recursos para a construção das casas são provenientes de um financiamento do Governo do Paraná junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e são utilizados para subsidiar integralmente o custo das unidades habitacionais.

As 53 unidades habitacionais que estão sendo construídas no município de Rebouças, como parte da Requalificação Urbana do programa Gente Nossa, da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), devem ser entregues até abril.

Quem garante são os próprios futuros moradores da Vila Facão, que também foram contratados como assistentes de pedreiro e estão participando ativamente da mudança de vida de toda uma comunidade, relocadas de área perigosa, com constante risco de deslizamento e enchentes, para a moradia definitiva.

“Estamos proporcionando dignidade e cidadania, retirando famílias de áreas de risco ou de proteção ambiental, ocupadas irregularmente”, explica o secretário Ney Leprevost, informando que estão sendo investidos R$ 4,4 milhões para subsidiar ações de redução de danos humanos, ambientais, sociais e econômicos.

“Além da regularização fundiária, estamos entregando vilas com toda infraestrutura, como pavimentação, galerias de águas pluviais, calçadas, acesso à água e esgoto e energia elétrica”, completa.

A dona de casa Cleusa Ramos viveu por 33 anos na antiga Vila Chemin e sonhou a vida toda com uma casa que não alagasse nos dias de chuva e que abrigasse no frio. “É um orgulho imenso poder participar da construção na nova vila”, disse ela feliz em estar ajudando a erguer as novas casas e ver a vila se tornar uma realidade. “Esperei 20 anos por este sonho”, afirmou Cleusa.

Outro futuro morador e também contratado como ajudante de pedreiro é Roberto Oliveira. “Nem acredito no que está acontecendo”, diz feliz, lembrando que além de poder ver sua casa ser construída, ainda conseguiu um emprego temporário na construção da vila. “Só tenho a agradecer”, afirmou.

Os recursos para a construção das casas são provenientes de um financiamento do Governo do Paraná junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e são utilizados para subsidiar integralmente o custo das unidades habitacionais.

Mais 24 municípios – Outros 24 municípios também serão beneficiados com a construção de 1.080 casas dentro do programa de Redução de Déficit Habitacional da Secretaria da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf), com investimentos de R$ 85,7 milhões. Já estão em construção, com gerenciamento da Cohapar, casas populares em Cantagalo (119), Imbituva (177), Prudentópolis (89), Wenceslau Braz (97), Barbosa Ferraz (30), Bituruna (25), Coronel Vivida (21), Corumbataí do Sul (30), Fernandes Pinheiro (50), Francisco Alves (24), Itapejara d’Oeste (15), Manfrinópolis (10), Mangueirinha (11), Manoel Ribas (20), Marilândia do Sul (12), Mariluz (20), Marmeleiro (40), Novo Itacolomi (42), Quinta do Sol (13), Salgado Filho (17), Sengés (42), Teixeira Soares (49), Wenceslau Braz (50) e Xambrê (24).