Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Governo vai ampliar mutirões contra a dengue pelo Estado

21 de janeiro de 2020 às 13:45
A próxima força-tarefa contra o mosquito Aedes aegypti, com início ainda nesta semana, será em Santa Isabel do Ivaí. Os números referentes à incidência da doença e a nova estratégia de combate foram apresentados nesta terça-feira (21) durante reunião do secretariado com o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

O Governo do Paraná decidiu ampliar o número de forças-tarefas contra a dengue. Após o sucesso das iniciativas em Nova Cantu, Quinta do Sol, ambos na Região Centro-Oeste, e Florestópolis, no Norte, cidades em situação de epidemia que conseguiram reduzir drasticamente a incidência de casos da doença, o Comitê Intersetorial de Controle da Dengue vai criar um cronograma de mutirões pelo Estado.

O próximo “arrastão” contra o mosquito Aedes aegypti, com início ainda nesta semana, será em Santa Isabel do Ivaí, no Noroeste. A cidade apresentou 120 novos casos confirmados da doença apenas na última semana, de acordo com o boletim divulgado nesta terça-feira (21) pela Secretaria de Estado da Saúde. O informe aponta também que a incidência de dengue no município é de 7.555 casos por 100 mil habitantes – uma cidade passa a ser considerada em epidemia a partir de 300 casos por 100 mil habitantes.

Os números e a nova estratégia de combate foram apresentados nesta terça-feira (21) durante reunião do secretariado com o governador Carlos Massa Ratinho Junior. “O mosquito ficou mais resistente. Não podemos parar. Seguimos pedindo para a população colaborar com a limpeza dos quintais, terrenos, evitando sempre a água parada”, afirmou o governador. “O Estado está em alerta, buscando alternativas e formas para evitar a proliferação da dengue”, completou.

Floraí, Uniflor, Paranavaí, Colorado e Guaíra também são considerados municípios críticos, em estado de epidemia, que devem receber a intervenção mecânica com arrastão técnico por parte do Estado, destacou o secretário estadual da Saúde, Beto Preto. “A diminuição é expressiva após os mutirões. Queremos atingir todas as cidades que estão no auge da epidemia”, ressaltou.

O secretário reforçou que 59% dos casos confirmados no Paraná são do sorotipo 2, considerado mais resistente. “Isso mexeu com a imunidade do paranaense, que não estava preparado. Por isso a necessidade de informar, dialogar e trabalhar com conjunto com a população. Sempre com transparência nos números e ações”, disse.

MUTIRÕES – Nova Cantu, Quinta do Sol e Florestópolis, no Norte, que receberam intervenções específicas contra a proliferação do mosquito Aedes aegypti no fim do ano passado, estão conseguindo controlar a doença.

Desde então, o número de casos confirmados vem caindo semana a semana. Em Nova Cantu, passou de 4,8 mil por 100 mil habitantes na semana mais crítica para 18 por 100 mil habitantes, de acordo com o boletim da semana passada. Em Quinta do Sol, de 4,1 mil para 409. E em Florestópolis de 160 para 9.

“É uma guerra contra a dengue e o Governo do Estado está fazendo de tudo para amenizar o problema para o paranaense”, ressaltou o governador Ratinho Junior.

MORTES – De agosto de 2019 até o momento, o boletim da secretaria estadual e o Sistema Nacional de Agravos de Notificações (Sinan) confirmam duas mortes por dengue no Estado, no município de Nova Cantu. Os dois óbitos ocorreram no final do ano passado, um em novembro e o outro em dezembro.

PRESENÇAS – Participaram da reunião o prefeito de Arapongas, Sérgio Onofre, o líder do Governo na Assembleia Legislativa, deputado Hussein Bakri, e o vice-líder Tiago Amaral.