Semana de Campo reúne em Ponta Grossa produtores de feijão e milho

2 de março de 2020 às 13:21

O Projeto Centro-Sul de Feijão e Milho está completando 30 anos. Fruto da parceria entre o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater, Syngenta, Embrapa, Instituto Agronômico de Campinas e prefeituras municipais, o projeto tem como prioridade profissionalizar pequenos agricultores, aumentando a produtividade e a renda de lavouras. A iniciativa viabiliza o acesso às boas práticas e contribui para a sustentabilidade da agricultura.

Para celebrar as três décadas do programa, acontece a partir desta terça-feira (03) a 21ª Semana de Campo, na Fundação ABC, em Ponta Grossa. O encontro que seguirá até sexta (06) reunirá agricultores e profissionais das cadeias produtivas para debater temas centrais do projeto. A preservação do meio ambiente, o manejo do solo, novas cultivares de feijão e híbridos de milho, manejo integrado de pragas e controle de doenças são alguns dos assuntos a serem discutidos pelos 1,6 mil participantes.

De acordo com Germano Kusdra, coordenador estadual do projeto, os agricultores terão a oportunidade de conhecer novas tecnologias que podem melhorar a produtividade e aumentar a renda das lavouras. Serão apresentados 32 novos materiais, entre variedades de milho e feijão.

“O produtor vai conseguir visualizar as tecnologias que estão ao seu alcance para aumentar a produtividade. São sete estações com os técnicos e pesquisadores orientando sobre o manejo de solo, plantas de cobertura, plantio direto, manejo integrado de pragas do feijão, controle de doenças, plantas invasoras e pragas do feijão e do milho”, afirmou Kusdra.

MANEJO – Além de variedades de feijão e milho, uma das novidades deste ano é a apresentação de resultados e do protocolo do Manejo Integrado de Pragas (MIP) do feijão. De acordo com Kusdra, até a realização desse trabalho, não havia orientações específicas para o Paraná. “Esse protocolo é o resultado do acompanhamento das últimas cinco safras no estado”, observou.

O extensionista destacou que produtores do projeto que aplicaram o MIP conseguiram reduzir sensivelmente o uso de inseticidas. “Houve casos em que não foi feita nenhuma aplicação, pois o acompanhamento indicava que as pragas não estavam causando prejuízo para as lavouras”, disse Kusdra.

Segundo ele, a função do MIP não é apenas reduzir o uso de agrotóxicos, mas também definir o produto certo, no momento adequado. “Isso reduz os custos das lavouras, porque diminui o gasto com produtos, mão de obra, maquinário e amassamento da cultura”, explicou. Ele acrescentou que, de maneira geral, o número de aplicações de inseticidas nas áreas dos agricultores do projeto caiu de três para uma.

Os profissionais do projeto também orientam os agricultores sobre o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e recolhimento de embalagens para evitar intoxicações e a contaminação do ambiente. Esta ação conta com a parceria da Associação dos Revendedores de Insumos Agropecuários dos Campos Gerais (Assocampos) e da empresa Vest Segura.

PRODUTIVIDADE – O Projeto Centro-Sul de Feijão e Milho vem sendo levado aos produtores há 30 anos. “O trabalho começou com uma ação conjunta do Instituto Iapar-Emater com a Syngenta sobre o uso correto de agrotóxicos e a segurança na aplicação. Depois vieram as orientações sobre o plantio direto e, posteriormente, tecnologias de produção de feijão e milho adequadas ao produtor familiar”, relembra Kusdra.

Ele informou ainda que os ganhos em produtividade são notórios. Enquanto a produtividade média nacional de feijão na safra 2018/2019 ficou em 1.031 kg por hectare – a estadual foi de 1.551 kg/ha – os produtores que participaram do projeto colheram 2.111 kg/ha.

No caso do milho os números também revelam um aumento significativo. Dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) demonstram que a produtividade média nacional na última safra chegou a 5.718 kg/ha. Agricultores do projeto conseguiram atingir a produtividade de 8.816 kg de milho por hectare, e no Paraná foi de 6.394 kg/ha.

O Projeto Centro-Sul de Feijão e Milho mobiliza uma equipe de 50 técnicos do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná-Iapar-Emater, além de profissionais de prefeituras, em 46 municípios do Estado na safra 2019/20. Ao todo, 2 mil agricultores familiares são acompanhados pelos extensionistas, além de produtores que participam ocasionalmente de alguma atividade do projeto.

 

Prudentópolis
12º
Tempo nublado
Ponta Grossa
13º
Tempo nublado
Guarapuava
10º
Tempo nublado
Curitiba
13º
Neblina
Londrina
20º
Tempo nublado
União da Vitória
12º
Tempo nublado
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sra. Nair Alves De Oliveira Parolin.
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat  comunica o falecimento do Sr Jose Olovati aos 78 anos.
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat  comunica o falecimento da Sra Regina Lusia de Lima Vaz aos 64 anos
  • É com pesar que a funerária Anjo Gabriel e o PAF comunicam o falecimento da Sra Rosa da Costa aos 82 anos de idade
  • É com pesar que a Funerária Anjo Gabriel e o PAF, comunicam o falecimento do Sr. José Acir Zanlorenzi.
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sra. Maria Izabel de Lima
  • Paraná fecha primeiro semestre com saldo positivo de 68 mil empresas
  • Atenção, Prudentópolis! O número do SAMU mudou!!
  • 2ª edição da Corrida e Caminhada da Cooperação é realizado pela Sicredi Centro Sul PR/SC/RJ
  • Paraná tem 2º maior crescimento do País em 12 meses; turismo é destaque
  • Defesa Civil mostra como será teste de alerta climático em duas cidades do Paraná; veja vídeo
  • Piana destaca fortalecimento do turismo do Paraná com novo voo Curitiba-Buenos Aires