Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Há um ano na Procuradoria da Mulher, Cristina Silvestri divulga relatório de ações.

2 de julho de 2020 às 16:08
Órgão, instalado na Assembleia Legislativa em 2 de julho de 2019, atua na manutenção e ampliação de políticas para mulheres no Estado

Hoje, 2 de julho de 2020, a Procuradoria Especial da Mulher da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) completa seu primeiro ano em atividade.

O órgão, criado como um instrumento do Legislativo Estadual para manutenção e ampliação de políticas públicas para as paranaenses, é comandado pela deputada estadual Cristina Silvestri, que foi nomeada como a primeira procuradora da mulher da Casa.

“A criação da Procuradoria foi um marco para o Legislativo Paranaense e, também, um exemplo para o legislativo de outros Estados, mostrando que as Casas de Leis também precisam de articulações específicas para a manutenção e ampliação de políticas públicas e incentivo às pautas femininas.

Neste primeiro ano de trabalho, a Procuradoria Especial da Mulher realizou ações importantes, atuando em diversas frentes da causa feminina, como segurança, saúde e política, com apoio das deputadas Cantora Mara Lima, Mabel Canto, Luciana Rafagnin, Maria Victória, além de dos deputados, órgãos de justiça e outras instituições de segmentos variados.

Para mostrar detalhadamente tudo o que foi feito até agora, o órgão lançou um relatório de ações, que está disponível para consulta em versão digital (ACESSE CLICANDO AQUI).

“Em um ano de trabalho, reunimos muitas conquistas importantes para a causa feminina. Foram ações em segmentos variados e que trazem resultados expressivos. Um dos mais recentes foi a conquista do Boletim de Ocorrência Online, solicitado pela Procuradoria da Mulher à Secretaria de Segurança, com apoio de deputadas e deputados, neste período de pandemia”, exemplifica Cristina, relembrando um reconhecimento recente dado à Procuradoria, que teve o seu Protocolo Unificado da Mulher selecionado no 17º Prêmio Innovare, uma das maiores premiações do país no reconhecimento de práticas que promovem a Justiça.

ATENDIMENTO

Uma das funções primárias da Procuradoria da Mulher é fiscalizar e dar encaminhamento às denúncias de mulheres que não estejam tendo seus direitos garantidos, mesmo durante a pandemia. Por isso, mulheres vítimas de violência que procurarem ajuda e não receberem o devido atendimento, podem acionar a Procuradoria da Mulher da Assembleia por WhatsApp (41 9 8814-2228), e-mail ([email protected]) ou pelas redes sociais Instagram (clique aqui) ou Facebook (clique aqui).