Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Athletico perde para o Vasco, chega a seis jogos sem vitória e mantém jejum

7 de setembro de 2020 às 07:11
Nas cinco partidas anteriores, o Furacão havia somado somou quatro derrotas seguidas e um empate.

Foto: Rafael Ribeiro/Vasco da Gama

O Athletico perdeu para o Vasco por 1 a 0, na noite deste domingo (6), no Rio de Janeiro. A partida, no estádio de São Januário, era válida pela 8ª rodada do Brasileirão. O resultado deixou o time paranaense com 7 pontos, na 16ª posição, encostado na zona de rebaixamento.

Nas cinco partidas anteriores, o Furacão havia somado somou quatro derrotas seguidas e um empate.

HISTÓRICO

O Athletico nunca conseguiu derrotar o Vasco no estádio de São Januário. Em jogos pelo Brasileirão, a única vitória do time paranaense sobre o rival carioca fora de casa ocorreu em 2017, mas foi no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.

TABELA

O Athletico volta a campo nesta quarta-feira (9), contra o Botafogo, na Arena da Baixada. O jogo seria à noite, mas foi antecipado para as 17h30.

TREINADOR

Foi o segundo jogo do técnico Eduardo Barros à frente do Athletico. No outro jogo, o time empatou em 1 a 1 com o Bragantino, na Arena da Baixada. Barros por enquanto é interino; ele ocupa o cargo após a saída de Dorival Júnior, demitido após seis rodadas (duas vitórias e quatro derrotas).

ESCALAÇÃO

Embora tivesse a possiblidade de contar com o zagueiro Thiago Heleno e o meia Nikão, recuperados de lesão, o técnico Eduardo Barros nem os relacionou para a viagem ao Rio de Janeiro. Em relação à última partida, foram três mudanças. Wellington, suspenso, deu lugar a Richard. O meia Erick foi escalado como lateral e abriu espaço para a entrada de Cristian no meio-de-campo. Na esquerda, Fabinho entrou em vez de Pedrinho. O time entrou no 4-1-4-1.

PRIMEIRO TEMPO

Quando o Athletico conseguiu fazer marcação alta no campo do Vasco, acabou levando um gol de contra-ataque logo aos 7 minutos. Benitez puxou e German Cano tocou para dentro. Mesmo assim, o time paranaense manteve a postura e tocou bastante a bola no entorno da área adversária. Foi assim pelo menos até os 25 minutos, quando a equipe reduziu o ritmo e deu campo ao adversário. Curiosamente, a melhor chance do time paranaense foi numa escapada em contra-ataque, que terminou com Bissoli chutando em cima do goleiro, aos 45 minutos.

SEGUNDO TEMPO

O Athletico voltou para o segundo tempo sem alterações. Aos 8 minutos, a luz caiu por alguns instantes em São Januário, sem gerar uma paralisação muito grande para a partida. Sem ver o time evoluir, Barros trocou Richard, Bissoli e Pedrinho por Alvarado (volante colombiano que estreava pelo Athletico), Bruno Leite e Pedrinho, aos 24 minutos. O time manteve o 4-1-4-1. Pouco depois, Abner entrou em lugar de Márcio Azevedo. O time passou a tocar a bola no campo de defesa do Vasco, que ficou recuado. Aos 34, o meia Lucho Gonzalez entrou para aumentar o volume de jogo, saindo o zagueiro Lucas Halter. Alvarado foi recuado para a zaga. Contudo, o time ficou exposto aos contra-ataques. O Vasco até chegou a fazer o segundo gol, com Ribamar (ex-Athletico). Mas o árbitro, depois de consultar o VAR, anulou ao ver falta de Bruno Gomes em Cristian na origem da jogada. Aos 50 minutos, Pedrinho teve uma grande para empatar, mas não aproveitou. E o time paranaense não conseguiu reverter a derrota.

ESTATÍSTICAS

Ao fim do jogo, o Athletico somou 14 finalizações (4 certas), 68% de posse de bola, 87% de acerto nos passes e 2 escanteios. O Vasco obteve 8 finalizações (2 certas), 32% de posse de bola, 75% de acerto passes e 3 escanteios. Os números são do site Sofascore.

VASCO 1 x 0 ATHLETICO

Vasco: Fernando Miguel; Yago Pikachu, Miranda, Marcelo Alves e Neto Borges; Andrey, Fellipe Bastos (Bruno César) e Benítez (Bruno Gomes); Ygor Catatau (Cayo Tenorio), Germán Cano (Ribamar) e Talles Magno (Carlinhos). Técnico: Ramon Menezes
Athletico: Santos; Erick, Lucas Halter (Lucho Gonzalez), Pedro Henrique e Márcio Azevedo (Abner); Richard (Alvarado), Geuvânio, Christian, Léo Cittadini e Fabinho (Pedrinho); Bissoli (Bruno Leite). Técnico: Eduardo Barros
Gol: Germán Cano (7-1º)
Cartões amarelos: Geuvânio
Árbitro: Raphael Claus (SP)
Local: São Januário, no Rio de Janeiro, domingo.

Fonte: Bem Paraná