Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Prudentópolis registra o janeiro mais chuvoso em dez anos

10 de fevereiro de 2021 às 09:47
Em Prudentópolis, a malha viária registrou formação de atoleiros, surgimento de vertentes, erosões e valetas em diversos pontos de estradas rurais, algumas chegando a interromper o trânsito normal de veículos, o que forçou equipes da prefeitura a atuarem em sistema emergencial.

Prudentópolis, assim como boa parte de todo o Sul do Brasil, e em especial o Paraná, registraram chuvas constantes e intensas durante boa parte do mês de janeiro, o que gerou uma série de prejuízos a vários segmentos.

Em Prudentópolis, a malha viária registrou formação de atoleiros, surgimento de vertentes, erosões e valetas em diversos pontos de estradas rurais, algumas chegando a interromper o trânsito normal de veículos, o que forçou equipes da prefeitura a atuarem em sistema emergencial.

Também foram registrados desmoronamentos de encostas, de cabeceiras de pontes e bueiros em muitos locais.

Já na agricultura, houve perdas totais em muitas lavouras de feijão em fase de pré-colheita, além de prejuízos em qualidade de grãos, brotamento de sementes nas vagens, surgimento de doenças como ferrugem na soja, dentre outras, em virtude da impossibilidade de acesso de pulverizadores nas lavouras, tanto pela condição encharcada do solo, como também pela chuva constante. O  Departamento Técnico da CAMP – Cooperativa Agrícola Mista Prudentópolis, vem acompanhando a situação, com registros de perdas em lavouras de feijão, principalmente, de soja, e até de milho.

Os produtores de leite também encontraram muitas dificuldades, tanto no manejo dos animais, em virtude do lodo excessivo formado em currais ou espera de salas de ordenha, mas principalmente nos locais de alimentação dos animais que, em alguns casos, tiveram de ser mudados para outro ponto pela condição caótica que os locais de trato apresentaram.

Muitos produtores se obrigaram a ministrar a silagem no próprio pasto, para fugir do atolamento das vacas e perda de alimento.

Houve queda de produção de leite em muitas propriedades, aliado a surgimento de casos de contaminação bacteriana e infecção nas vacas, pela umidade excessiva.

O Departamento Técnico da Camp faz um monitoramento diário das condições meteorológicas há mais de trinta anos, possuindo registros de precipitações pluviométricas diárias. Em termos comparativos desses números, pode-se afirmar que janeiro de 2021 foi o mais chuvoso nos últimos dez anos em Prudentópolis.

Pelos números de coleta, junto da sede da cooperativa, na área central da cidade, os números alcançaram 293 milímetros, contra 137 em 2020.

Número próximo disso, ocorreu em 2018, quando se alcançou 280 milímetros.

A CAMP também possui duas estações meteorológicas localizadas nas regiões de Nova Galícia, mais ao norte e Papanduva de Baixo, mais ao sul do município.

Os números, nesses locais em janeiro, na região de Nova Galícia foram semelhantes ao da sede, com 292,8 milímetros.

Por sua vez, a região de Papanduva de Baixo, alcançou 367,6 milímetros, praticamente 70 milímetros a mais que os demais locais.

Os números de precipitação dos últimos dez anos, conforme os registros da cooperativa, são os seguintes: 2010 – 160 mm; 2011 – 254 mm; 2012 – 140 mm; 2013 – 183 mm; 2014 – 210 mm; 2015 – 157 mm;  2016 – 208 mm; 2017 – 268 mm; 2018 – 280 mm; 2019 – 171 mm; 2020 – 137 mm; e 2021 – 293 mm;