Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Manifesto da Assembleia reforça pedido de Cristina Silvestri para obras na BR-277

8 de abril de 2021 às 17:27
O pedido de Cristina à ANTT foi protocolado em março, durante o período em que a Agência recebeu sugestões para o novo modelo de concessão.

Em março, deputada protocolou pedido formal na ANTT para que obras sejam adiantadas na nova concessão do pedágio; Alep reforçou nesta semana

Um manifesto enviado pela Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) nesta semana para a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) reforça um pedido protocolado pela deputada estadual Cristina Silvestri (Cidadania) de adiantamento das obras na BR-277, de Guarapuava até o Trevo do Relógio e, também, na Serra da Esperança.

O documento, concordante entre todos os parlamentares da Alep, reforça a posição contrária da Casa de Leis frente ao modelo de concessão atual proposto pelo Governo Federal.

“Nós já pagamos esta conta e a duplicação deste perímetro já devia estar feita. Nos novos modelos, Guarapuava e região não podem esperar ainda mais para que estas obras saiam do papel.

É uma luta que estamos travando há tempos e este manifesto da Alep reforça a importância da demanda que protocolei na ANTT”, detalha a deputada.

O pedido de Cristina à ANTT foi protocolado em março, durante o período em que a Agência recebeu sugestões para o novo modelo de concessão.

A manifestação da deputada foi realizada frente a uma programação prévia da ANTT, que pretendia incluir a duplicação do perímetro de Guarapuava apenas a partir do nono ano de contrato com as novas pedageiras.

“Nós demandamos o adiantamento destas obras, com respaldo técnico e com necessidades reais.

A região Central é um corredor importantíssimo, rota de desenvolvimento para todo o Estado, onde vivem milhares de pessoas que necessitam, também, de segurança no tráfego”, detalhou, lembrando que a região da Serra da Esperança também necessita de especial atenção por conta da existência de trincas no maciço que podem, a qualquer momento, gerar desmoronamentos.

Nesta semana, a deputada Cristina e diversos outros parlamentares voltaram a pressionar o Governo Federal para reforçar a necessidade de um modelo que priorize a tarifa pelo menor preço nas novas concessões, sem a cobrança de outorga, sem degrau tarifário e com menor tempo para execução das obras previstas.