Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Prefeitos da AMCESPAR pedem “socorro” ao Estado para combater a Covid-19

27 de maio de 2021 às 15:29
Os gestores municipais pedem uma atenção especial do Governo do Estado para a região, que passa pela pior crise de saúde no período da pandemia, com aumento significativo nos índices de contaminação pelo coronavírus.

Reunião entre os gestores públicos e o secretário de Saúde, Beto Preto, foi articulada pela deputada federal Leandre; região Centro Sul passa por momento crítico na área da saúde

Prefeitos da região Centro-Sul do Paraná realizaram uma reunião com a deputada federal Leandre Dal Ponte (PV-PR) e o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, para debater medidas de promoção à saúde e combate à Covid-19.

Os gestores municipais pedem uma atenção especial do Governo do Estado para a região, que passa pela pior crise de saúde no período da pandemia, com aumento significativo nos índices de contaminação pelo coronavírus.

Os prefeitos da AMCESPAR (Associação dos Municípios Centro do Sul do Paraná) relataram ao secretário de Saúde a sobrecarga na Santa Casa de Irati, e outros hospitais que hoje são referência para os atendimentos na região.

Uma das soluções apontadas e defendidas pelo prefeito Celso Kubaski foi a reabertura do hospital São João, em Imbituva.

“A situação é muito triste. A Santa Casa está atendendo hoje 10 municípios. Então, se o governo puder ajudar a Santa Casa de Irati, estará atendendo toda a AMCESPAR”, afirmou o prefeito Jorge Derbli.

O pedido por uma intervenção maior do estado na região Centro Sul foi reforçado por Junior Benato, prefeito de Inácio Martins e presidente da associação dos municípios.

“Até agora, conseguimos fazer o máximo com nosso esforço. Mas agora precisamos de uma intervenção maior para nossos hospitais de referência”, pediu.

O secretário Beto Preto se dispôs a auxiliar a região, mas ponderou que a situação da área da saúde é crítica em todo o Estado.

Segundo ele, atualmente 700 pessoas aguardam um leito de UTI para tratamento da Covid-19. Ele também pontuou a luta por medicamentos para intubação e de profissionais de saúde para trabalhar na linha de frente.

Os estoques de medicamentos no Estado estão acabando.

“Hoje, temos 1930 leitos de UTI no Estado do Paraná. E mesmo que a gente consiga abrir mais leitos, vai faltar medicação e vai faltar profissionais para trabalhar.

A situação é gravíssima. Este é o momento mais dramático na gestão da crise aqui no Paraná”, disse.

Beto Preto sugeriu a aplicação de medidas restritivas mais rígidas, tendo como base o novo decreto “guarda-chuva” do Governo do Paraná, para evitar aglomerações e, como consequência, o contágio pelo novo vírus.

A deputada Leandre solicitou à SESA informações atualizadas sobre a situação de combate à pandemia e abertura de novos leitos no Paraná. Ela destacou seu trabalho, em Brasília, junto ao Ministério da Saúde, por maior celeridade no cadastramento de novos leitos de UTI em hospitais brasileiros.

Levantamento feito Globonews com as secretarias de Saúde e prefeituras mostrou que o Paraná é, hoje, o estado com maior número de pessoas com Covid-19 aguardando a liberação de um leito de UTI.

Assessor de Imprensa

Gabinete Deputada Federal Leandre (PV-PR)