Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Funcionária vai à polícia e conta detalhes sobre assédio sexual de presidente da Paraná Turismo

21 de dezembro de 2021 às 10:14
"Eu quero saber se você é depilada, porque eu fico imaginando, eu chego a sonhar com você"

A funcionária comissionada da Paraná Turismo, Natália da Silva, acusa o presidente da autarquia ligada ao Governo do Estado, João Jacob Mehl, de assédio sexual e racismo.

A secretária prestou depoimento, nesta segunda-feira (20), na Delegacia da Mulher, no bairro Cabral, em Curitiba. Após as denúncias, Mehl pediu exoneração do cargo.

As ações reiteradas teriam acontecido dentro da Paraná Turismo. A mais grave delas, segundo Natália, foi registrada no último dia 25 de novembro, quando Jacob Mehl pronunciou frases de baixo calão para a funcionária.

“Geralmente, ele faz esse tipo de gracinha, de elogios meio nojentos, mas a gente releva, por conta da idade. No dia 25 de novembro, ele me chamou próximo da mesa dele e perguntou se minhas partes íntimas são depiladas.

Ele disse: ‘sabe por quê? Eu quero saber se você é depilada, porque eu fico imaginando, eu chego a sonhar com você. Sou louco pela sua cor. Você não quer fazer amor comigo?’.

Por último, para finalizar, ele disse: ‘garanto que eu faço mais gostoso que seu falecido namorado’. Faz dois meses e meio que meu namorado veio a óbito”, relatou Natália.

“No dia 25, quando aconteceu, eu não tive reação, só sabia chorar. Saí para almoçar e não consegui. Pensei: ‘o que vou fazer? O homem tem nome, tem dinheiro, cargo de presidente’.

Coloquei o gravador no meu bolso, porque, se eu não gravasse, ninguém acreditaria em mim. Após o almoço, eu cheguei perto dele, nervosa, e falei: ‘sobre a sua conversa comigo hoje pela manhã, não gostei, isso não é pergunta que se faça, se eu sou depilada? Estou aqui para trabalhar, quero que o senhor me respeite”, contou à Banda B.

Natália, que trabalha na Paraná Turismo há 1 ano e 9 meses, fez uma denúncia interna antes de procurar a delegacia. De acordo com ela, pelos corredores da entidade, há relatos de outra funcionária, que teve medo de procurar as autoridades.

“Eu continuei trabalhando normalmente. Formalizei denúncia para o Estado e na delegacia. O Governo informou que as medidas cabíveis estão sendo tomadas, mas eu não sei quais, pois ele continua trabalhando normalmente, como se nada tivesse acontecido. Eu tenho pavor de escutar o elevador subindo com ele chegando”, afirmou.

João Jacob Mehl tem 78 anos e é pai de cinco filhas. Além de dirigente da Paraná Turismo, ocupou o cargo de presidente do Coritiba por duas vezes, entre 1990 e 1991 e 1998 e 1999.

“São denúncias de extrema gravidade, sobretudo, ocorrendo dentro de uma autarquia do Estado do Paraná, que tem compliance e conhecimento sobre a postura reiterada desse senhor.

É uma situação que não pode perdurar. É uma coisa que vamos buscar a Justiça tanto para Natália, quanto para outras vítimas que ele tenha feito e ainda não temos conhecimento”, destacou o advogado Thiago Teza, que representa Natália.

A Polícia Civil ainda não se manifestou.

O que diz a Paraná Turismo

A Banda B procurou pela assessoria de comunicação do Governo do Estado para um posicionamento sobre o caso e as medidas a serem tomadas pela Paraná Turismo e recebeu resposta por meio de nota. Leia na íntegra:

“O presidente da Paraná Turismo, João Jacob Mehl, pediu exoneração do cargo nesta segunda-feira (20/12).

O empresário havia sido denunciado por uma servidora do órgão por suposta prática de assédio – denúncia cuja investigação vem se dando tanto no âmbito administrativo quando no criminal.

Na esfera administrativa, foi aberto um processo na Ouvidoria do estado, com juntada de provas e que está correndo dentro do prazo. A Sedest aguarda o resultado do processo para tomar as medidas cabíveis.

Ainda antes do parecer, porém, o presidente pediu exoneração.”

 

FONTE BANDA B CURITIBA