Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Guarapuava deve adotar novas medidas sanitárias a partir de domingo (23)

19 de janeiro de 2022 às 15:17
O novo decreto seguirá a avaliação semanal da situação epidemiológica e deve ser publicado até sábado (22)

Diante do quadro epidemiológico atual com mais de 3.890 casos ativos e o anúncio de 2 novas mortes ocorridas nos últimos dias em decorrência da Covid-19, a Matriz de Risco, utilizada como referência no sistema de bandeiramento, ainda se manteve em 11 pontos nessa terça-feira (18), indicando que, se essa tendência permanecer, a próxima bandeira a ser adotada deve ser a laranja. A mudança deve ocorrer no próximo domingo. De acordo com o prefeito Celso Góes, as novas medidas da bandeira laranja vão considerar a situação atual como a taxa de imunização da população, menor gravidade dos sintomas dos contagiados, além da demanda por tratamento especializado e internamento nos hospitais.

“Nós estamos agindo com responsabilidade e transparência, estamos atentos, monitorando 24 horas a pandemia. (…)  Durante essa semana vamos conversar com todos os setores para esclarecer dúvidas e organizar as medidas sanitárias que vão ser implantadas. Estamos num novo contexto da pandemia e os ajustes devem refletir isso. Nossa missão é proteger as vidas e isso também inclui os meios de subsistência das pessoas”, enfatiza o prefeito Celso Góes.

O novo decreto seguirá a avaliação semanal da situação epidemiológica e deve ser publicado até sábado (22). “Nesse momento não consideramos a possibilidade de lockdown na cidade. Vamos ponderar principalmente a redução da capacidade de uso dos espaços, mas não de maneira a inviabilizar o funcionamento. As medidas vão ser anunciadas com antecedência para que as pessoas, empresas e o comércio possam se preparar, mas só valem a partir da semana que vem se fecharmos a matriz de risco no sábado com o bandeiramento laranja”, explica o secretário de Saúde, Joílson Pires.

Dessa forma, as regras da bandeira laranja estabelecidas pelo decreto o nº 8.754 de 6 de junho de 2021 não serão as mesmas adotadas anteriormente pelo Município. Os ajustes estão sendo discutidos em reuniões com representantes de todos setores da sociedade.

Desde 3 de julho de 2021, a cidade adotou a bandeira amarela, sendo as medidas ajustadas ao longo dos últimos 6 meses, respeitando-se a dinâmica da situação epidemiológica.

NÚMEROS

O Boletim Epidemiológico do Município confirmou mais duas mortes nessa terça-feira, totalizando 626 óbitos em decorrência da Covid-19. De acordo com a Secretaria de Saúde (SMS), a demanda por leitos de UTI e enfermagem também aumentou nos últimos dias, mas não impacta consideravelmente o sistema de saúde. A demanda ainda é relativamente baixa, com menos de 25% de ocupação no Hospital Regional, principal referência no atendimento.

A SMS também confirmou 611 novos casos, totalizando 3.899 casos ativos. Mais de 99% dos pacientes apresentam sintomas leves. “A pandemia impõe uma consciência e responsabilidade individual, todos já sabem o que deve ser feito para evitar a contaminação, principalmente a higiene, uso de máscara e distanciamento social. A vacinação também tem demonstrado ser eficaz diante da grande quantidade de casos que não apresentam sintomas graves”, explica o secretário.

NOVO CENÁRIO

Do total de casos confirmados na cidade nesses quase dois anos de pandemia, 21,6% das contaminações ocorreram depois do Natal de 2021, nos últimos 24 dias, contabilizando 7.204 notificações. Em contrapartida, nesse período ocorreu pouco mais de um por cento das mortes em decorrência da Covid-19 no município, 7 das 626, ou 1,11% do total. Uma situação muito diferente da vivida no auge da pandemia no mês de maio de 2021, quando 5.459 guarapuavanos se contaminaram com o novo coronavírus, representando 16,6% dos casos, e 149 morreram em decorrência da doença, 23,8% do total de óbitos. “Temos um vírus que contagia mais, porém que gera menos problemas de saúde, além de contarmos com mais de 83% da população protegida com ao menos uma dose da vacina”, complementa Jonílson.

(Matéria: Secom/Prefeitura de Guarapuava).