Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Leandre e Amcespar lutam para transformar concessão da Flona em desenvolvimento regional sustentável

27 de janeiro de 2022 às 16:21
O objetivo da reunião foi buscar, dentro da legislação, possibilidades de reverter a exploração da floresta em benefícios econômicos e sociais e desenvolvimento econômico para a região da Associação dos Municípios Centro do Sul do Paraná (Amcespar). 

Em Brasília, nesta quarta-feira (26), a deputada Leandre participou de uma reunião no Serviço Florestal Brasileiro, sobre a concessão da Floresta Nacional de Irati (Flona).

O objetivo da reunião foi buscar, dentro da legislação, possibilidades de reverter a exploração da floresta em benefícios econômicos e sociais e desenvolvimento econômico para a região da Associação dos Municípios Centro do Sul do Paraná (Amcespar).

Participaram da reunião o presidente do Sindicato da Indústria de Serrarias, Carpintarias e Tanoarias e da Marcenaria de Irati, Avonir Funes, o prefeito de Irati, Jorge Derbli, o prefeito de Inácio Martins, e presidente da Amcespar, Junior Benato, e Aline Welp, assessora da liderança do PSD.

Eles foram recebidos pelo diretor-geral adjunto do Serviço Florestal Brasileiro, João Crescêncio, coordenadora-Geral de Concessão Florestal, Cristina Galvão, e administradora do Departamento de Estruturação e Projeto de Infraestrutura Socioambiental, Ludmila Costa, e o chefe do Departamento de Estruturação de Projetos de Infraestrutura Socioambiental do BNDES, Robson Oliveira.

No ano passado, depois de muita luta da deputada Leandre, a Flona de Irati foi qualificada para fazer parte do PPI do Governo Federal, com finalidade de concessão florestal. Assim, é possível fazer o processo de substituição das espécies exóticas, como o Pinnus por exemplo, por formações florestais compostas de espécies nativas, como a Araucária.

Por intermédio da deputada Leandre,os representantes do Paraná também tiveram a oportunidade de relatar a demanda para a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, durante um breve encontro.

Leandre destaca que este é o resultado de uma luta que iniciou em 2019 no Ministério da Agricultura. E que a possibilidade de comercializar esta madeira que não é nativa da região vai gerar ganhos sociais e econômicos para a região da Amcespar.

“Esta concessão vai gerar empregos durante 30 anos. Por isso, queremos que todo o desenvolvimento e riqueza gerada por essa concessão possa ficar também na nossa região, para desenvolver os municípios com geração de renda, emprego e riqueza”, comentou Leandre.

Audiências Públicas

Durante a reunião, os técnicos do Serviço Florestal Brasileiro informaram que haverão consultas e audiências públicas na região para receber contribuições para a elaboração do edital de concessão. As reuniões estão previstas para começar já no próximo mês.

O prefeito de Irati, o presidente da Amcespar, e o presidente do sindicato reforçaram o pedido para reverter a exploração da floresta em benefícios econômicos e sociais e desenvolvimento econômico para a região.

“A Amcespar está inserida neste contexto, com a deputada Leandre e o ministério. Vamos ter boas notícias”, disse Junior Benato.

“Queremos o desenvolvimento da região, que toda essa riqueza dessa madeira extraída fique na região da Amcespar”, reforçou Jorge Derbli.

“Gostaríamos que o Governo fizesse uma reserva técnica para as madeireiras da região no edital de concessão”, afirmou o presidente do sindicato, Avonir Funes.

Risco de Incêndio

Além de gerar riqueza para a região, especialistas explicam que a retirada de madeiras que não são nativas da floresta também diminui a pressão nos estoques de madeira nativa da região e também de material combustível, que pode ocasionar incêndios e gerar perdas enormes para a área de conservação.