Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Procon vai recomendar às empresas de telefonia melhora na comunicação com clientes

3 de fevereiro de 2022 às 11:42
De acordo com o estudo, 822 entrevistados afirmaram que já tiveram problemas com sua operadora, sendo que pouco mais da metade informou que as reclamações foram solucionadas de forma espontânea.

Uma pesquisa do Procon-PR realizada entre os dias 26 e 28 de janeiro com mais de mil consumidores mediu a forma de consumo de telefonia celular no Paraná. De acordo com o órgão, 55,6% utilizam as opções “controle” e “pré-pago”, nas quais o consumidor só paga quando utiliza, e 43,5% utilizam os serviços de telefonia na modalidade “pós-pago”, aquela em que o consumidor recebe faturas mensalmente

O restante (0,08%) afirmou não saber qual a modalidade do seu plano de telefonia celular. Das 1.100 respostas, apenas seis consumidores informaram não utilizar telefone celular.

Cerca de 56%, ou 612 entrevistados, tiveram acesso ao contrato no momento da contratação, mas somente 180 consumidores leram as condições contratuais.

Outros 484 consumidores informaram que não tiveram acesso ao contrato no momento da contratação. Desses, 188 clientes buscaram esclarecimentos sobre as condições do serviço pelo aplicativo das operadoras ou internet.

A pesquisa apontou ainda que 456 consumidores (entre mais de mil) consideram as informações sobre seu plano (disponíveis nos aplicativos das operadoras) inacessíveis ou pouco claras. Além disso, 24,2% nunca consultaram as informações nos aplicativos.

De acordo com o estudo, 822 entrevistados afirmaram que já tiveram problemas com sua operadora, sendo que pouco mais da metade informou que as reclamações foram solucionadas de forma espontânea.

O levantamento aponta que 348 clientes tiveram que buscar auxílio por meio de canais de denúncia (Procons, consumidor.gov.br e Juizados Especiais, por exemplo) para ter seu problema resolvido.

De acordo com o secretário Ney Leprevost, de Justiça, Família e Trabalho, a pesquisa aponta uma realidade preocupante. “A informação é um direito básico do consumidor e precisamos lutar por ela”, disse.

“As empresas precisam melhorar a oferta, mas a gente também precisa ler, se informar, e a gente não lê”, completou Claudia Silvano, diretora do Procon-PR.

Diante desse quadro, o órgão vai expedir uma recomendação para as empresas que atuam no Paraná para buscar formas de melhorar a comunicação com os clientes, visando o cumprimento fiel dos contratos assinados.