Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Governo executa obras e projetos para Guarapuava e região

2 de maio de 2022 às 17:04
Na região de Guarapuava as obras se concentram na BR-277 (duplicação do perímetro urbano e terceiras faixas até Cascavel)

Os investimentos do Governo do Paraná na região Central e Centro-Sul do Estado já ultrapassam R$ 300 milhões em pouco mais de três anos. Com isso, demandas históricas foram solucionadas, como a duplicação da BR-277 em Guarapuava, as pavimentações entre Mato Rico e Pitanga e Irati e São Mateus do Sul e as contratações dos projetos de ampliação de capacidade para melhorar a conexão desse polo com o Norte e o Noroeste. Os recursos influenciam a economia e a vida de milhares de moradores num raio de 50 municípios.

Esse pacote de obras faz parte de um planejamento estratégico do Governo do Paraná para a região. De um lado estão a captação de financiamentos para dar andamento célere às obras e de outro a contratação de novos projetos com objetivo de ampliar a capacidade de escoamento de rodovias que conectam Guarapuava com Londrina e Maringá, gerando um novo ciclo de atração de investimentos privados.

Há, ainda, o acordo de leniência com a antiga concessionária que administrava a BR-277 entre Cascavel e Guarapuava para novas terceiras faixas na região. Dessa maneira, todas as principais entradas e saídas da cidade mais populosa da região estão recebendo investimentos.

São, em resumo, três grandes eixos de intervenções. Perto da divisa com Santa Catarina, no Centro-Sul, há obras e projetos na região de Irati e São Mateus do Sul, facilitando o acesso a Guarapuava e Curitiba. Na região de Guarapuava as obras se concentram na BR-277 (duplicação do perímetro urbano e terceiras faixas até Cascavel).

E, acima de Guarapuava, estão em andamento o projeto de duplicação integral até Pitanga e, a partir de Pitanga, a ampliação de capacidade das rodovias numa espécie de V até Mauá da Serra (conectando com a duplicação da PR-445 até Londrina) e até Campo Mourão (renovando as possibilidades de acesso a Maringá ou à Boiadeira e o Mato Grosso do Sul, também revitalizada nessa gestão).

“Para buscar novas indústrias e oportunidades de emprego é preciso eficiência logística, infraestrutura e uma rede de atendimento ao setor produtivo que destrave as burocracias. Estamos investindo em todas essas frentes. A região central do Estado tem um potencial imenso de crescimento, principalmente na área industrial. O objetivo é que nos próximos anos, com essas obras entregues, esses municípios deem um salto nos indicadores de desenvolvimento social”, disse o governador Carlos Massa Ratinho Junior.

Esses projetos ainda se somam ao pacote de concessões rodoviárias do Estado, projetado para iniciar a partir de 2023, e à Nova Ferroeste, transformando Guarapuava num centro logístico da conexão entre os países do Mercosul e o Paraná.

“Queremos ter a melhor infraestrutura multimodal do País daqui a alguns anos. E tudo isso foi construído com planejamento e esforço político com as lideranças da região desde 2019. Nada acontece de uma hora para outra. Somos o supermercado do mundo, um Estado com grande capacidade de inovação a partir de suas indústrias e universidades, e vamos mudar a realidade da região”, reforçou Ratinho Junior.

PAVIMENTAÇÕES

O governador também destacou as pavimentações realizadas ou que estão em andamento em convênios com a Secretaria de Infraestrutura e Logística nos últimos anos. Desde 2019, foram investidos R$ 37,3 milhões em onze cidades do Centro-Sul (Fernandes Pinheiro, Inácio Martins, Irati, Mallet, Pinhão, Prudentópolis, Rebouças, Rio Azul, Teixeira Soares e Virmond) e R$ 17,7 milhões em oito municípios (Boa Ventura de São Roque, Cândido Abreu, Iretama, Manoel Ribas, Palmital, Pitanga, Roncador e Turvo) da região central. Ao todo, com as contrapartidas municipais, são R$ 62 milhões em obras.

Em Manoel Ribas, por exemplo, os recursos foram para a Estrada de Barra Santa Salete, importante acesso rural do município. Em Turvo, o contrato permitiu a pavimentação da Rodovia Municipal João Maria de Jesus e, em Iretama, o acesso ao parque das Águas de Jurema, um dos principais redutos turísticos da região, foi totalmente revitalizado.

No Centro-Sul, Teixeira Soares ganhou uma conexão moderna com a pavimentação da Estrada da Gruta até a BR-277. Fernandes Pinheiro moderniza ligação com a comunidade Assungui e Prudentópolis recebeu convênios para dar melhores condições para a Rodovia Municipal Capitão João Durski Silva e as estradas de acesso a Barra Bonita, Linha Esperança, Jaciaba e Linha Guarapuava.

OBRAS NO CENTRO E CENTRO-SUL

Duplicação da BR-277 em Guarapuava

Está em andamento desde o ano passado a duplicação da BR-277 em Guarapuava, com novas pistas em ambos sentidos da rodovia, do quilômetro 345,2 ao quilômetro 349,1. Serão implantadas também uma via marginal direita e uma marginal esquerda. O investimento é de R$ 77 milhões e a previsão de entrega é para este ano.

A obra inclui ainda uma nova trincheira na Avenida Professor Pedro Carli, uma trincheira entre a Rua João Fortkamp e a Rua Campo Grande; a duplicação do viaduto no entroncamento com a PRC-466 e, ainda, a adequação de suas alças de acesso; três pontes no km 345,5; uma trincheira para acesso ao aeroporto municipal; uma passarela no km 349,3 e outra no km 345; e a implantação de iluminação pública em uma extensão de 12,2 quilômetros.

Terceiras faixas da BR-277 entre Guarapuava e Cascavel

A importante ligação entre Guarapuava e Cascavel, que ocorrem por trem e por rodovias, também está sendo melhorada. Está em andamento, por meio de acordo de leniência entre concessionária de pedágio e o Ministério Público Federal, com definição das obras, aprovação dos projetos e fiscalização da execução pelo Governo do Paraná, a implantação de terceiras faixas em 13 segmentos considerados críticos da BR-277 em uma extensão de 14,1 quilômetros. Estão contemplados segmentos nos territórios de Guarapuava, Nova Laranjeiras, Guaraniaçu, Campo Bonito, Ibema e Catanduvas.

Pavimentação da PR-239 entre Pitanga e Mato Rico

Também está em andamento, após anos de uma licitação arrastada e discussões judiciais, a pavimentação da PR-239 entre Pitanga e Mato Rico, em uma extensão de 43,15 quilômetros. A rodovia será em pista simples, com segmentos de terceiras faixas, cinco pontos de variantes ao traçado atual da rodovia e duas interseções em nível. O investimento é de R$ 89 milhões e parte já foi entregue.

Mato Rico era um dos três municípios que ainda não tinham conexão asfáltica. Com esse novo investimento, haverá economia de tempo de deslocamento e de segurança para moradores e para o setor produtivo.

Pavimentação dos acessos às indústrias de Pitanga

Também está em reta final a obra de implantação de vias marginais em ambos lados da PRC-466, no perímetro urbano de Pitanga, em uma extensão de 4,2 quilômetros, incluindo quatro novas interseções em nível. O investimento é de R$ 15 milhões. Com essa obra, que se soma à intervenção na PR-239, os dois municípios ganharam mais possibilidades para atrair investimentos e diversificar a economia local, ainda muito ligada à agropecuária.

Pavimentação entre Irati e São Mateus do Sul

Mais ao sul de Guarapuava e perto da divisa com Santa Catarina está em andamento a obra de pavimentação da PR-364 entre Irati e São Mateus do Sul, em uma extensão de 49 quilômetros. Ela inclui uma nova ponte sobre o rio Turvo, uma variante da rodovia em Irati e um viaduto no entroncamento com a BR-153. O investimento é de R$ 108 milhões.

Atualmente boa parte do trecho já foi concluído e a previsão de entrega é neste ano. É uma rodovia que conecta importantes cidades de médio porte do Estado, sobretudo pela produção florestal, conexão com a erva-mate e possibilidade de ampliação de investimentos com a proximidade com Curitiba e o Porto de Paranaguá.

PROJETOS NO CENTRO E CENTRO-SUL

Pavimentação da PR-239 entre Mato Rico e Roncador

Está em elaboração o projeto executivo de pavimentação da PR-239 entre Mato Rico e Roncador, em uma extensão de 27 quilômetros. O edital inclui o contorno de Barra Bonita (distrito de Pitanga), o contorno de Mato Rico e nova ponte sobre o Rio Mato Rico. O investimento foi de R$ 1,5 milhão. Assim que ele for entregue, o objetivo é a liberar a contratação da obra. Dessa maneira, em poucos anos Mato Rico terá duas conexões asfálticas.

Duplicação entre Guarapuava, Turvo e Pitanga

Principal sonho dos moradores da região, a duplicação integral entre Guarapuava e Pitanga está mais perto de acontecer. Estão em elaboração dois projetos executivos de duplicação da PRC-466. Entre Guarapuava e Turvo serão duplicados 38,30 quilômetros, executadas novas pontes sobre o Rio Turvo e o Rio Coutinho, e um viaduto em Turvo. No projeto entre Turvo e Pitanga a extensão é de 45,50 quilômetros, e inclui novas pontes sobre o Rio Carazinho e Rio Bonito, um viaduto em Pitanga, e estudos para novas interseções nos acessos para Santa Maria do Oeste (PR-456) e Boa Ventura do São Roque (PR-820). O investimento total foi de R$ 4,7 milhões. Eles devem ser entregues ao DER/PR ainda neste ano.

Conexão de Pitanga com o Norte e o Noroeste

Também estão em elaboração os projetos executivos de restauração e ampliação da capacidade das rodovias ligando Pitanga a Campo Mourão e Pitanga a Mauá da Serra, em cinco lotes. O objetivo é aumentar as condições de competitividade desses municípios. Esses projetos também serão entregues ao DER/PR até o final deste ano. O investimento total foi de R$ 14,6 milhões.

O projeto denominado lote 01 vai de Pitanga até a ponte sobre o Rio Muquilão, em uma extensão de 51,52 quilômetros. Ele inclui a PR-460 e um trecho da PRC-487, sendo que a interseção entre as duas deverá ser projetada em desnível.

O lote 02 dá continuidade ao anterior, contemplando a PRC-487 entre a ponte sobre o Rio Muquilão e o município de Campo Mourão, em uma extensão de 61,42 quilômetros, o maior dos cinco. O projeto também deve considerar interseções em desnível nos acessos a Iretama (PR-462) e Luiziana (PR-553), além de pontes novas sobre o Rio Mourão e o Rio das Lontras, com geometria corrigida.

O lote 03 começa em Mauá da Serra e segue até Lidianópolis (Porto Ubá), em 54,81 quilômetros da PRC-272. Ele deverá incluir a possibilidade de interseções em desnível nos acessos para Faxinal, Cruzmaltina e Borrazópolis, e o alargamento do viaduto sobre a linha férrea para implantação de acostamentos. O lote deverá incluir ainda um estudo de viabilidade para unificar interseções muito próximas uma da outra ou com entrelaçamentos.

O lote 04 continua de Porto Ubá até o acesso a Furnas, na PRC-466, atendendo 51,86 quilômetros de extensão do trecho. O projeto deve contemplar também o alargamento da ponte sobre o Rio Ivaí, para implantação de acostamentos, soluções para separar o tráfego local do tráfego de longa distância em Ubá do Sul e Lidianópolis, e a duplicação da ligação entre Jardim Alegre e Ivaiporã, com interseções em desnível e marginais no perímetro urbano dos dois municípios.

O lote 05 vai do acesso a Furnas até Pitanga, em uma extensão de 43,05 quilômetros, novamente na PRC-466. Neste projeto deve ser incluída também a possibilidade interseções em desnível no acesso a Manoel Ribas e no acesso para Pitanga, com soluções para separar o tráfego de longa distância do tráfego local neste último.

Pavimentação da PR-990 em Rebouças

Está em elaboração, por fim, o projeto executivo de pavimentação da PR-990, ligação entre Rebouças e a PR-364, em uma extensão de 12,60 quilômetros, complementando a obra em andamento entre Irati e São Mateus do Sul. Também será estudada a possibilidade de implantar novas pontes ou galerias no Rio Arroio dos Cristianos, Rio do Salto e Rio Poço Bonito.  O investimento foi de R$ 681 mil.

(Matéria: AENPr/com revisão).