Nossa Gente

Seu novo portal de notícias em Prudentópolis e região

Prudentópolis recebe Projeto Patrimônio Vivo: referências que conectam gerações e regiões

27 de outubro de 2022 às 16:00
O curso está sendo realizado no período da manhã, na Biblioteca Municipal; O objetivo é partilhar conhecimentos sobre educação patrimonial, e assim levantar as referências culturais das cidades participantes

Prudentópolis foi uma das três cidades escolhidas – Prudentópolis, Lapa e Palmeira – para receber o Projeto Patrimônio Vivo: referências que conectam gerações e regiões.

O projeto é um curso que busca partilhar conhecimentos sobre educação patrimonial, e assim levantar as referências culturais locais das cidades participantes. Ao final, os alunos produzem uma exposição de fotos e textos. O curso é oferecido pelo Programa de fomento e incentivo à Cultura (Profice), da Secretaria de Comunicação e Cultura do Estado, em parceria com a Copel.

Desse modo, o objetivo principal é compartilhar as riquezas municipais e criar vínculo entre o passado e o futuro, por meio dos materiais produzidos. Cerca de 20 prudentopolitanos estão participando do projeto.

Para uma das professoras, Lia Marchi, a ideia é capacitar as pessoas para desenvolverem mais projetos sobre educação patrimonial. “É importante levantar as referências culturais de cada cidade, para que as pessoas que aqui estão possam continuar documentando e mostrando para mais gente essas riquezas, que cada município tem”, explicou a cineasta, pesquisadora, produtora e também professora, em entrevista ao Nossa Gente.

Foto: Reprodução

De acordo com ela, o projeto precisou passar por algumas etapas para ser posto em prática, como a procura pelos alunos. Em Prudentópolis, o programa entrou em contato primeiro com a prefeitura. Depois, por meio da Casa da Cultura e da Casa da Memória o curso foi divulgado aos possíveis interessados.

Conforme a antropóloga e também professora do projeto, Carol Mira, a finalização do curso com a produção das exposições é um quesito necessário.”É muito importante ter essa parte da fotografia e do audiovisual, que também são uma linguagem. Então, para finalizar com a exposição, a gente também desenvolve esse olhar para as referências e o patrimônio cultural da cidade”, comentou.

O curso tem uma carga horária de 40h, divididas em oito módulos de 4h, as outra oito horas são compostas de atividades extras. Primeiro são ensinados os conteúdos teóricos e depois repassadas as partes práticas.

Segundo a secretária de Cultura, Nadir Vozivoda, o curso é um dos pontos necessários para que o município se capacite ainda mais para mostrar a cultura que possui e, assim, conseguir acolher e passar informações aos visitantes. “É de extrema importância e eu imagino que vai sair muito fruto daqui, por que Prudentópolis está sendo vista no mundo e a gente precisa se preparar para isso”, comentou Nadir.

Foto: Reprodução

Até metade da próxima semana, os alunos devem concluir todos os temas que compõe o programa:

Módulo 01: Conceitos Gerais
Ministrante: Lia Marchi
Módulo 02: Povos, Festas e Tradições do Paraná
Ministrante: Lia Marchi
Módulo 03: Metodologia dos Inventários Participativos
Ministrante: Lia Marchi
Módulo 04: Introdução à linguagem fotográfica e audiovisual
Ministrante: Carol Mira
Módulo 05: Narrativas a partir de imagens e textos, metodologias para
contar histórias
Ministrante: Carol Mira
Módulo 06: Desenvolvimento do Projeto de Exposição
Ministrante: Carol Mira
Módulo 07: Desenvolvimento do Projeto de Exposição
Ministrante: Lia Marchi e Carol Mira
Módulo 08: Levantamento de propostas e ações para trabalhar com
Educação Patrimonial no Município a partir das Referências Culturais
elencadas pela turma
Ministrante: Lia Marchi e Carol Mira

Ao todo, o Projeto Patrimônio Vivo deve concluir com os seguintes resultados: 15 visitas guiadas, sendo 5 em cada município; 1.000 catálogos impressos; 03 exposições de fotos com 32 painéis, uma em cada cidade; com uma estimativa de público total de 4.150 pessoas, com faixa etária: de 6 a 100 anos.

(Matéria: Redação Nossa Gente, Samilli Penteado/ com informações Projeto Patrimônio Vivo**).