Governador recebe bombeiro paranaense que combateu incêndios florestais no Canadá

5 de setembro de 2023 às 13:36

O governador Carlos Massa Ratinho Junior recebeu nesta segunda-feira (4) o 1º tenente Bruno Eduardo Da Macena, do 2º Grupamento de Bombeiros de Ponta Grossa. Ao lado de bombeiros de outros estados, o profissional foi para o Canadá em 21 de julho, onde atuou ativamente na pior temporada de incêndios florestais já registrada no país norte-americano até o seu retorno ao Brasil, em 23 de agosto.

Ao receber Da Macena, que estava acompanhado do comandante-geral do Corpo de Bombeiros Militar do Paraná, coronel Manoel Vasco de Figueiredo Junior, o governador agradeceu o empenho dele na missão internacional representando toda a corporação.

“O Corpo de Bombeiros do Paraná é uma referência nacional, com participação ativa em diversas missões nacionais e internacionais. Isso só é possível porque temos uma equipe de profissionais bem formados e com excelente preparo técnico, como é o caso do tenente Da Macena, que ajudam carregar o nome do nosso Estado em ações humanitárias”, afirmou.

O governador lembrou que o Estado tem investido na melhoria das condições de trabalho dos bombeiros, com a contratação e formação de novos profissionais, a construção de novas sedes maiores e mais modernas para as corporações e a aquisição de novos veículos. No final de 2022, a Assembleia Legislativa do Paraná também aprovou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) feita pelo Executivo estadual que garantiu a autonomia financeira e administrativa do Corpo de Bombeiros.

MISSÃO – O bombeiro paranaense fez parte de um grupo de 100 profissionais de diversas áreas e instituições que integraram a missão organizada pela Agência Brasileira de Cooperação do Ministério das Relações Exteriores. Uma das diferenças da missão canadense em relação às realizadas anteriormente é a atuação integrada de diversos órgãos brasileiros, como a Força Nacional, Ibama, ICMBio e os bombeiros estaduais, organizados por meio do Conselho Nacional dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil (Ligabom).

“Foi uma satisfação e uma responsabilidade enormes ter sido escolhido para uma missão desse porte. Toda a delegação brasileira tinha uma preocupação em fazer um bom trabalho e deixar uma boa impressão, já que era a primeira missão humanitária feita dessa forma, com várias equipes de órgãos diferentes”, revelou Da Macena.

Ao mesmo tempo em que auxiliava a conter as chamas que se espalham pelo país, ele assimilava o jeito canadense de trabalhar nesse tipo de tragédia. Segundo o tenente, o cenário encontrado é muito diferente daquele que se tem no Brasil, com vegetação e clima muito seco no verão, o que exigiu estratégias de combate próprios para a região.

A vegetação é uma floresta de coníferas resinosa, altamente inflamável, o que faz com que as chamas se espalhem rapidamente. Além disso, o que predomina na região é o incêndio subterrâneo, algo pouco usual no Brasil.

Outro fator que impacta no tipo de abordagem feita pelos bombeiros canadenses é uma espécie de besouro que cava buracos nas árvores, típico da região da Colúmbia Britânica, onde os maiores focos estão concentrados. O inseto não resiste a temperaturas abaixo de -40°C, mas os termômetros não têm baixado de -30°C, o que contribuiu com proliferação da praga. Com isso, há muitas árvores podres no meio da mata com risco de queda, o que representa um perigo a mais aos profissionais em ação.

Essa conjunção de fatores define a estratégia para combater o fogo, com atuação principal direta por aeronaves. A ação por terra é dividida em duas fases. Primeiro, um grupo equipado com motosserras entra na mata, identifica as árvores condenadas e corta cada uma delas para reduzir os riscos. Só aí começa o combate propriamente dito.

“Além de ajudar os canadenses, foi uma oportunidade de trocar experiências não só com os bombeiros locais, mas com profissionais de corporações de outros países que também estavam lá. Isso agrega muito ao conhecimento que já tínhamos, com técnicas e estratégias que trouxemos de lá e que podem ser adaptadas para cá, assim como equipamentos e metodologias de trabalho que eles utilizam para gerir a operação e que podem ser compartilhadas com os colegas”, concluiu Da Macena.

De acordo com o comandante-geral do Corpo de Bombeiros, o Paraná se destaca em âmbito nacional no combate a incêndios florestais desde a década de 1960, quando o Estado enfrentou severas situações deste tipo em diversas regiões.

Prudentópolis
21º
Parcialmente nublado
Ponta Grossa
19º
Tempo limpo
Guarapuava
19º
Tempo limpo
Curitiba
19º
Parcialmente nublado
Londrina
24º
Parcialmente nublado
União da Vitória
20º
Tempo nublado
  • É com pesar que e a Funerária Anjo Gabriel comunica o falecimento do Sr Antonio Valdivino Ribeiro dos Santos
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat  comunica o falecimento da Sra Nadia Martinhuk  Gelinski aos 81 anos de idade.
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sra. Olga Prenechuki Rodovanaki
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sra. Amélia Andre Suchodolak.
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sra. Nair Alves De Oliveira Parolin.
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat  comunica o falecimento do Sr Jose Olovati aos 78 anos.
  • Cristina Silvestri pede ação do Estado para garantir direitos dos proprietários de terra em Guaíra
  • Comemoração aos 118 anos de Prudentópolis terá Show Especial com Padre Ezequiel Dal Pozzo
  • Mais R$ 5,5 milhões da indenização da Petrobras irão para novos projetos ambientais
  • Inscrições: Empreendedoras da Beleza oferta cursos gratuitos de maquiagem na RMC
  • Com novo comitê, Paraná atinge 100% de cobertura das regiões hídricas do Estado
  • Estado reforça apoio aos municípios para mulheres, igualdade racial e idosos