Polícia Civil alerta população sobre o golpe da falsa venda nas redes sociais

6 de novembro de 2023 às 15:26

A Polícia Civil do Paraná (PCPR) alerta a população sobre o golpe da falsa venda nas redes sociais e o que fazer caso seja vítima. O golpe é praticado após o criminoso invadir um perfil na rede social e oferecer diversos produtos com ofertas atrativas.

Segundo o delegado José Barreto, do Núcleo de Combate aos Cibercrimes (Nuciber), neste tipo de golpe são feitas publicações anunciando produtos com preços muito abaixo do mercado e em ótimo estado de conservação. Os golpistas iniciam as negociações a partir do momento em que aparecem os interessados, ou seja, conhecidos da pessoa que perdeu o acesso à rede social.

“Durante a negociação, os suspeitos oferecem o produto com um preço bem barato. Por exemplo, uma televisão que custa R$ 5 mil é ofertada por R$ 2 mil. A vítima aceita, realiza o pagamento por pix ou transferência bancária, porém não recebe o produto, ficando no prejuízo”, explica.

Ele alerta que é necessário desconfiar caso algum contato esteja oferecendo produtos nas redes sociais com o argumento de que deseja se desfazer de alguns objetos ou que precisa do dinheiro para viajar, por exemplo. Além disso, o delegado ressalta que o cidadão deve ficar atento durante a negociação e conferir se o nome da conta para transferência bancária é o mesmo nome do conhecido.

“Na dúvida, entre em contato com a pessoa por telefone, chamada de vídeo, ou marque um encontro pessoalmente para garantir que ela esteja realmente querendo vender o produto anunciado”, afirma Barreto.

Para evitar que a rede social seja invadida, é importante desconfiar de qualquer link recebido e não clicar. Outra dica é habilitar a verificação em duas etapas, de preferência por meio de um aplicativo autenticador. Com essa verificação, caso a pessoa clique no link, o cibercriminoso precisará do código para invadir a conta, dificultando sua ação.

BOLETIM DE OCORRÊNCIA – Caso seja vítima do golpe, o cidadão deve imediatamente fazer um boletim de ocorrência. O registro pode ser via internet, no site da PCPR, de forma rápida e evitando deslocamentos desnecessários. Caso deseje, a confecção do documento ocorre de forma presencial na delegacia mais próxima.

A vítima também deve avisar seus contatos, por meio de outros aplicativos ou telefone, que o perfil da rede social foi hackeado para que ninguém caia no golpe.

O delegado recomenda ainda juntar todas as provas na hora de registrar o B.O., contribuindo com o andamento das investigações. “Colocar o máximo de dados disponíveis, qual a conta bancária da transferência, o perfil invadido e utilizado para enganar a vítima, e demais informações, como data e hora do fato, auxiliam no esclarecimento por parte da polícia”, acrescenta.

Prudentópolis
19º
Tempo limpo
Ponta Grossa
18º
Tempo limpo
Guarapuava
19º
Tempo limpo
Curitiba
18º
Tempo limpo
Londrina
20º
Tempo limpo
União da Vitória
19º
Tempo limpo
  • É com pesar que e a Funerária Anjo Gabriel comunica o falecimento do Sr Antonio Valdivino Ribeiro dos Santos
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat  comunica o falecimento da Sra Nadia Martinhuk  Gelinski aos 81 anos de idade.
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sra. Olga Prenechuki Rodovanaki
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sra. Amélia Andre Suchodolak.
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sra. Nair Alves De Oliveira Parolin.
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat  comunica o falecimento do Sr Jose Olovati aos 78 anos.
  • Pavimentação de estradas rurais: convênios firmados no 1º semestre somam R$ 125 milhões
  • Governo Federal adia teste de alerta de desastres climáticos em Morretes e União da Vitória
  • Educação divulga resultado preliminar de classificados para o Ganhando o Mundo Diretor
  • Nova espécie de abelha é descoberta por professora da Unicentro
  • Concessionária apresenta agenda de obras rodoviárias para comunidade portuária
  • Cristina Silvestri pede ação do Estado para garantir direitos dos proprietários de terra em Guaíra