Santos perde e é rebaixado à Série B pela primeira vez na história

7 de dezembro de 2023 às 11:20

Os santistas que foram à Vila Belmiro e os milhares que não puderam ir viveram um pesadelo na noite desta quarta-feira. Depois de flertar com o rebaixamento em dois anos seguidos, o Santos não encontrou forças para escapar da queda e vai disputar a segunda divisão nacional pela primeira vez em sua história.

A queda à Série B foi consumada com a derrota por 2 a 1 para o Fortaleza na Vila Belmiro e as vitórias de Vasco e Bahia, que estavam atrás do Santos na tabela, mas ultrapassaram a equipe paulista com seus triunfos em casa.

Em 2022 o Santos perdeu o seu ídolo máximo, Pelé, o maior jogador de todos os tempos. Em 2023, viveu seu mais profundo calvário. Como resultado, em 2024, não vai disputar a Série A nem a Copa do Brasil.

Depois de uma pequena demonstração de fôlego na reta final do Brasileirão, o Santos entrou em espiral de queda ao amargar cinco partidas sem ganhar.

Na Vila Belmiro, fez mais um jogo ruim. Lutou muito, é verdade, mas não há como mostrar futebol quem não tem. Talvez nem Pelé seria capaz de consertar esse inábil Santos.

Pelo terceiro ano seguido, a luta do Santos foi para não ser rebaixado no Brasileirão. Nos dois anos anteriores, flertou com a queda em boa parte da competição, ainda que não tenha chegado à última rodada com risco de cair.

Terminou em décimo e 12º, respectivamente. Neste ano, o calvário se aprofundou. Foram rodadas dentro da zona da degola e outras muito próximo dela até que o pior aconteceu.

A queda é resultado, sobretudo, de sucessivos erros da gestão de Andrés Rueda, que deixará a presidência em breve – a eleição para escolher um novo presidente será no próximo sábado.

Rueda sairá do cargo e vai entregar o clube na segunda divisão e com as finanças ainda prejudicada e odiado pelo torcedor, que xingou o presidente antes mesmo de Vuaden apitar o fim do jogo.

“O Santos fica na Série A. Não penso o contrário. Eu não considero risco de rebaixamento. O Santos é ‘incaível’”, dissera ao Estadão Rueda neste ano.

Desde o início da temporada, o clube se colocou em uma posição de lutar contra a queda. Tanto que chegou à última rodada com chance de disputar a Série B em 11,1% dos cenários e as combinações catastróficas para os santistas aconteceram.

O JOGO DA QUEDA

Incapaz de ser um conjunto competitivo, o Santos, dá pra dizer, se esforçou para ser rebaixado. Na partida derradeira, foram muitos os lances que irritaram os santistas nas arquibancadas.

Nem mesmo o baleião, mascote que tentava animar a torcida, escapou da ira dos sofridos santistas. “Some daí, não serve pra nada”, gritou um zangado torcedor.

A revolta dos santistas aumentava a cada lance de ataque mal-acabado. Soteldo e Marcos Leonardo eram um oásis em meio a atletas esforçados, mas com poucos recursos – ou nenhum, em alguns casos. Jean Lucas talvez tenha sido protagonista do lance que resume o calvário do Santos.

De volta da Europa neste ano, o meio-campista perdeu de forma burlesca um gol na pequena área. Livre, quando foi chutar, não acertou a bola, e sim o chão.

Um ex-jogador do Santos fez a raiva dos santista subir de nível. Marinho, vaiado e xingado desde que pisou no gramado, deu o troco.

A zaga esqueceu que o atacante estava no sozinho no ataque e em posição legal e deixou o atleta avançar em direção a João Paulo e balançar as redes.

Não bastasse a provocação dos rivais e todo o sofrimento causado pelo Santos, os torcedores tiveram de engolir uma provocação do ex-santista. Marinho ordenou que a torcida se calasse e pôs os dedos indicadores nas têmporas. Talvez atônitos, sem força para reagir, cansados de tamanho calvário, eles aquiesceram.

Santos foi tão incompetente que a única alegria ao santista quem deu no primeiro tempo foi o Atlético-MG, quando empatou o seu jogo com o Bahia. “Nós temos que torcer para o Atlético, não tem jeito”, lamentou-se um torcedor sem camisa, descalço e zangado sentado em uma das cadeiras centrais.

Ele puxava o cabelo e rezava, com seus dois terços – um no pescoço, outro no punho – ao passo que os minutos transcorriam e a tensão aumentava.

Se era ruim o cenário, tornou-se um pesadelo quando, com o primeiro tempo encerrado na Vila Belmiro, chegou a notícia de que o Bahia havia marcado o segundo gol em Salvador.

Prudentópolis
18º
Tempo nublado
Ponta Grossa
18º
Chuvas esparsas
Guarapuava
17º
Tempo nublado
Curitiba
20º
Tempo nublado
Londrina
24º
Tempo nublado
União da Vitória
20º
Tempo nublado
  • É com pesar que a Funerária São João comunica o falecimento da Sra. Maria Jak Stempniak.
  • Prefeito de Ivaí Orli de Cristo lamenta a morte do Sr Guilherme Salvadori aos 106 anos de idade
  • É com pesar que a Funerária São João comunica o falecimento do Jovem Emerson Alexsandro Okaranski
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da pequena Mariah Parkuts Datczuk.
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat comunica o falecimento da senhora Zenobia Kraiczk aos 71 anos.
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sr. Theodosio Vencelovicz.
  • Concurso com sete vagas na Polícia Penal do Paraná está com inscrições abertas
  • Governo do Estado organiza 6° Fórum Paranaense de Turismo Religioso em Lunardelli
  • Programa Nota Paraná reforça canais de fiscalização sobre documentos fiscais cancelados
  • Copel produz primeiras moléculas de hidrogênio renovável em Curitiba
  • Paraná teve o maior crescimento da atividade econômica do Brasil em 2023
  • Em visita à Embaixada do Brasil no Chile, Paraná busca aumentar fluxo de turistas sul-americanos