Caminho das Águas atrai visitantes na 36ª edição do Show Rural em Cascavel

7 de fevereiro de 2024 às 14:34

Uma grande maquete ao ar livre mostra bem as diferenças de como ficam os cursos dos rios, desde as nascentes, quando são ou não protegidos pelas matas ciliares, e os impactos que a falta da preservação causam na qualidade da água. O Caminho das Águas é uma ação de educação ambiental desenvolvida em parceria entre a Sanepar e o Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR Paraná) e tem atraído a atenção do público que visita o Show Rural Coopavel.

O Caminho das Águas está aberto a todos os visitantes até sexta-feira (9), no espaço anexo ao estande da Sanepar, na área do IDR-Paraná, das 8h horas às 17h30. O percurso visa provocar a reflexão sobre os cuidados com a água do planeta e a importância da preservação ambiental.

Marina Ransolin Rodrigues, extensionista IDR-Paraná responsável pelo Caminho das Águas, explica que a proposta busca conscientizar os agricultores e todos que passam pela feira sobre os cuidados com as áreas de entorno dos rios. “A maquete representa os dois caminhos da água, um não preservado, sem a mata ciliar e sem proteção de nascente, e a consequência disso. Para contrapor, tem o outro lado, com a mata ciliar conservada, com uma água de boa qualidade e a nascente protegida”, explicou.

Além da maquete, o espaço também apresenta aos visitantes sistemas de tratamento de efluentes domésticos como uma alternativa de fácil instalação nas propriedades rurais. “O objetivo é mostrar a importância da preservação de solo e de água, a diferença em ter uma nascente protegida e esse sistema alternativo de saneamento, que se diferencia de uma fossa comum por ser impermeável, evitando a contaminação do solo”, explicou.

Visitando o Show Rural na terça-feira (6), as agriculturas Nair Feltrin Lingoski e Renita Mattei Lingoski, ambas de Cafelândia, no Oeste do Estado, se mostraram entusiasmadas com a apresentação lúdica e didática. “É um trabalho muito bom. Com esse caminho fica mais fácil entender a importância de cuidarmos dos rios. Ensinando, as instituições ajudam a melhorar a qualidade da água”, disse Nair.

Graziele Paula Dal Toé Schnorr, extensionista social da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), que trabalha agricultores do Oeste catarinense, aproveitou o evento para uma espécie de intercâmbio. “O IDR-PR e o Epagri são coirmãos e prestam um trabalho parecido no meio rural. Por isso nosso grupo veio conhecer as experiências e novidades que estão dando certo. E esse trabalho de proteção de nascentes e efluentes nos chamou atenção, porque é uma iniciativa diferenciada, que pode ser aplicado também no nosso estado”, afirmou.

Eliane Merhet Neivert, produtora rural de Fernandes Pinheiro, no Centro-Sul, visita o Show Rural todo ano e aproveitou para aprender mais sobre a preservação da água. “Eles apresentaram uma solução prática para um problema que temos na fazenda, com as fossas. Isso aqui é uma coisa muito interessante, muito prático, não polui o meio ambiente. Agora vamos tentar montar algo assim na nossa propriedade”, destacou.

PROGRAMAS – No estande da Sanepar, painéis apresentam os programas institucionais da Sanepar de cunho ambiental. Um dos exemplos é o Fundo Azul, pelo qual a Sanepar investe em projetos de conservação, preservação e recuperação de bacias de mananciais e em áreas de recargas de poços. O programa é desenvolvido em parceria com órgãos estaduais, universidades, prefeituras, cooperativas e demais instituições.

A Companhia mostra também o programa Sanepar Rural, que busca auxiliar as prefeituras a levar água tratada a comunidades rurais, quilombolas e aldeias indígenas. A implantação dos sistemas de abastecimento nessa modalidade é feita em parceria com os municípios e com as comunidades beneficiadas.

Outro importante projeto é o da fertirrigação e reuso das águas servidas, que utiliza o efluente tratado, que é rico em nutrientes, para irrigação e fertilização de culturas agrícolas. A aplicação dele está sendo estudada para uso em pomares e culturas que não são consumidas cruas, em áreas de reflorestamento e em irrigações paisagísticas ou esportivas, entre outros.

Prudentópolis
17º
Tempo limpo
Ponta Grossa
16º
Tempo limpo
Guarapuava
16º
Tempo limpo
Curitiba
18º
Tempo limpo
Londrina
18º
Tempo limpo
União da Vitória
17º
Tempo limpo
  • É com pesar que e a Funerária Anjo Gabriel comunica o falecimento do Sr Antonio Valdivino Ribeiro dos Santos
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat  comunica o falecimento da Sra Nadia Martinhuk  Gelinski aos 81 anos de idade.
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sra. Olga Prenechuki Rodovanaki
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sra. Amélia Andre Suchodolak.
  • É com pesar que a Funerária São João e o Plano UNI PAZ, comunicam o falecimento da Sra. Nair Alves De Oliveira Parolin.
  • É com pesar que e a Funerária São Josafat  comunica o falecimento do Sr Jose Olovati aos 78 anos.
  • Pavimentação de estradas rurais: convênios firmados no 1º semestre somam R$ 125 milhões
  • Governo Federal adia teste de alerta de desastres climáticos em Morretes e União da Vitória
  • Educação divulga resultado preliminar de classificados para o Ganhando o Mundo Diretor
  • Nova espécie de abelha é descoberta por professora da Unicentro
  • Concessionária apresenta agenda de obras rodoviárias para comunidade portuária
  • Cristina Silvestri pede ação do Estado para garantir direitos dos proprietários de terra em Guaíra